Agricultor do Norte de Minas investe na horticultura e colhe 600 pés de alface por dia

Agronegócio

Agricultor do Norte de Minas investe na horticultura e colhe 600 pés de alface por dia

Agricultura familiar é uma das principais atividades exercidas no Norte de Minas Gerais
Por:
1090 acessos

Agricultura familiar é uma das principais atividades exercidas no Norte de Minas Gerais

A agricultura familiar é uma das principais atividades exercidas em Claro dos Poções, no Norte de Minas. Neste setor, a horticultura tem sido um dos destaques no município, graças à ampla produção e qualidade das hortaliças. Um bom exemplo vem da propriedade do seu Floreano, na comunidade rural de Riacho. Ele tem sete hectares de plantio de alfaces e de outros produtos.

Por morarem na cidade, o agricultor e a esposam acordam cedo para dar conta do trabalho. Às seis horas da manhã eles já estão de pé para colher as hortaliças e prepará-las para entregar a um supermercado e para a Central de Abastecimento do Norte de Minas (Ceanorte), em Montes Claros, e outros pontos da região. Só de alface, eles colhem, em média, 600 pés de alface por dia. Os filhos e alguns amigos do casal também trabalham na propriedade, além de outro parceiro. O expediente na propriedade só termina às dez horas da noite.

Antes de trabalhar com hortaliças, seu Floreano era construtor civil, mas a vida tomou outro rumo quando resolveu comprar um pedaço de terra para investir na criação de gado de leite. “Sempre gostei de trabalhar no campo e comprar essa terra foi realizar um sonho que eu tinha desde pequeno. Não é um trabalho fácil, às vezes cansativo, quando  tenho  que ir em Montes Claros duas vezes no dia, além de fazer outras entregas em alguns municípios próximos. Mas no final vale todo esforço”.

O trabalho com as hortaliças começou em fevereiro. Seu Floreano conta que para conseguir as sementes, viajou várias vezes  para o município do Carandaí, referência em produção de hortaliças em Minas Gerais e  que fica aproximadamente a 600 quilômetros de Claro dos Poções. “Na época, a propriedade não tinha suporte como tem hoje, então perdemos muitas mudas de hortaliças porque não tínhamos estufas, e o clima seco também prejudicava nossa produção”, fala.

Atualmente o agricultor trabalha com alface (roxa, crespa e americana), cebolinha, coentro, couve, rúcula e entre outros. A diversidade de hortaliças cultivadas é também uma estratégia para manter a renda e a sustentabilidade da família no campo. Para irrigar a plantação, ele optou pelo gotejamento e a microaspersão que ajudou diminui quase 50% do consumo de água e de energia.

O técnico da Emater-MG em Claro dos Poções, Manoel Cardozo, foi o responsável por acompanhar o trabalho na propriedade  desde o início. Ele conta que é muito gratificante   ver o agricultor crescendo, graças ao  uso de práticas de cultivo ambientalmente corretas, economicamente viáveis e socialmente justas. “A maior alegria de um extensionista é levar qualidade de vida aos agricultores familiares. E, ao ver essa família bem-sucedida, você percebe que o seu dever foi cumprido”, comenta .

Segundo seu Floreano, diz ficar muito satisfeito ao ver que negócio chegou a essa proporção, superando as expectativas em meio a tantas dificuldades. “A assistência da Emater-MG foi muito importante para que eu chegasse até aqui, todas as orientações dadas foram o resultado desta plantação hoje. Se antes faltava mudas, hoje sobra”, comemora.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink