Agricultor em Parobé investe em biodigestor

Biodigestor

Agricultor em Parobé investe em biodigestor

Família de Alberto Daniel Schirmer está investindo em um biodigestor para aproveitar os resíduos de peixe provenientes da agroindústria Sítio do Peixe
Por:
93 acessos

A família de Alberto Daniel Schirmer está investindo em um biodigestor para aproveitar os resíduos de peixe provenientes da agroindústria Sítio do Peixe para a produção de gás e biofertilizante. Esta é uma das novidades na propriedade, que fica na localidade de Santa Cristina do Pinhal, em Parobé, depois da inauguração da agroindústria de pescado que ocorreu em 2015.

Alberto decidiu investir no biodigestor cerca de R$ 15 mil, na construção de alvenaria e pedra. Para isto contou com recursos do Pronaf Investimento e o projeto foi elaborado pela Emater/RS-Ascar. O biodigestor surgiu porque ele queria fazer o aproveitamento dos resíduos sólidos existentes na propriedade - no caso o esterco de galinha, de seis vacas e as sobras de peixe da agroindústria ? e diminuir os custos de produção.

Assim, ele vai conseguir gerar gás biometano no biodigestor de 21 metros cúbicos, que será convertido em gás para uso na agroindústria, para ser utilizado no processamento do peixe e também gerar energia elétrica. ?Nós queremos ser auto-suficientes?, ressalta o produtor que já pensa no futuro. ?Se tivermos excedentes, poderemos até vender?, ressalta.

O biodigestor recém ficou pronto e ele está começando a depositar os resíduos que antes iam para uma composteira. Alberto disse que chega a ter cerca de 150 kg por semana de restos do beneficiamento do pescado. Atualmente a família abate por volta de 15 toneladas de tilápias ao ano.

Nesta terça-feira (04/12), os agrônomos da Emater/RS-Ascar, Henrique Bartels, e Marcelo Biassusi, a chefe do escritório municipal da Emater/RS-Ascar em Parobé, Elaine Cadore, e o técnico agropecuário da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, Emerson Cristiano Brunner, estiveram na propriedade para ver como estão as obras e discutir o sistema que está sendo implantado.

A propriedade é uma das unidades de observação e a família integra o Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar (PGSAF), executado pela Emater/RS-Ascar, e o Programa Estadual de Agroindústria da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR).
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink