Algas promovem crescimento de plantas
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,782 (-0,26%)
| Dólar (compra) R$ 5,38 (2,78%)

Imagem: Eliza Maliszewski

BIOLÓGICOS

Algas promovem crescimento de plantas

Variedade usada na agricultura como bioativador melhora a resistência
Por: -Eliza Maliszewski
429 acessos

A alga marinha Ascophyllum nodosum é mundialmente reconhecida por promover o crescimento das plantas e melhorar sua resistência frente aos estresses e ao ataque de pragas e doenças, representando diminuição nos custos de produção.
 
A macroalga é encontrada no norte do Oceano Atlântico. É comum na costa norte-ocidental da Europa incluindo o oeste da Groelândia e na costa nordeste da América do Norte. O uso dela como bioestimulante em plantas traz diversos benefícios: estimula o maior crescimento radicular e vegetativo; proporciona maior vigor e sanidade de raízes, folhas e frutos; potencializa a absorção e aproveitamento dos nutrientes disponíveis para as plantas; aumenta a tolerância da planta por estresses; proporciona maior brotação das gemas; indução e desenvolvimento de flores; melhora da escala de classificação dos frutos e incremento de produtividade.

A Koppert Biological Systems está trazendo ao Brasil uma linha de bioativadores formulados a partir da alga.  A linha inclui produtos para cana-de-açúcar, para grãos e para hortifrutícolas.  Por ser 100%natural estimula a planta a produzir hormônios de acordo com a sua necessidade. “Além disso, o Ascophyllum faz com que a planta expresse o seu potencial genético por estimular diversos mecanismos fisiológicos.  O produto vai auxiliar a planta a tolerar ou se recuperar dos estresses causados por falta ou excesso de água, insolação, fitotoxidade, entre outros”, explica o coordenador de desenvolvimento agronômico, Marcelino Borges de Brito.

Resultados em culturas

Os bioativadores podem ser utilizados nas sementes e mudas, visando o desenvolvimento radicular e na pulverização foliar, para manter a sanidade vegetal, formação de flores e uniformidade dos frutos. Foram testados em duas culturas para avaliar o desempenho.

Em lavouras de arroz a aplicação rendeu plantas mais vigorosas e com até 12,6% a mais de panículas produtivas. As parcelas tratadas produziram 500 quilos a mais por hectare, em comparação com as parcelas controle.
 
Em batata as plantas foram colhidas e avaliadas 65 dias após a semeadura e as aplicações do produto elevaram o número de tubérculos por planta em 15,8% e aumentaram o diâmetro em 36,4.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink