Alta da soja fica por conta das esmagadoras
CI
Imagem: Divulgação
COTAÇÕES

Alta da soja fica por conta das esmagadoras 

Em Santa Catarina o mercado cai levemente, sem negócios
Por: -Leonardo Gottems

A cotação do dólar e os preços da soja na Bolsa de Chicago caíram no encerramento da semana, ficando a alta da soja somente por conta das esmagadoras no estado do Rio Grande do Sul, de acordo com informações da TF Agroeconômica. “Quanto aos valores de lote, pode-se perceber  pelas indicações da tabela acima que ocorreu uma queda média de R$ 1,00/saca. Ademais, os futuros de outubro foram cotados a R$172,50 e os volumes vendidos de hoje não devem ter passado de 4.000 toneladas. Os negócios da semana, no entanto, foram vistos de forma relativamente positiva, cerca de 150.000 toneladas negociadas desde segunda-feira", comenta. 

Em Santa Catarina o mercado cai levemente, sem negócios. “Os  preços  de  lote  para  setembro  no  porto  de  São  Francisco  do  Sul  recuaram  em  mais  50  centavos  mesmo  nos melhores momentos, ficando a R$172,50, embora a perda não seja enorme, afasta ainda mais das ideias do produtor que almeja vender volumes a ao menos R$180,00. Ademais, a semana acabou como começou, o mercado permanece parado,  com  o  produtor  pedindo  valores  indefinidos  por  seus  volumes”, completa. 

Assim como nas demais regiões, o Paraná segue em um ciclo de menor demanda por parte das tradings e melhora nas margens de esmagamento, tornando os negócios mais propícios  para  os  esmagadores. “Com  o  dólar  caindo 1,17%  e  Chicago  caindo  0,47%  os  preços  que  os compradores puderam oferecer recuaram entre 1 e 4 reais/saca e não houve negócios”, indica a consultoria. 

No Mato Grosso do Sul os preços de lotes se seguram e a semana se encerra em um dia sem negócios. “O  mercado  do  Mato  Grosso  do  Sul  negociou  apenas manutenção  em  relação  aos  valores  do  dia  anterior. Sabe-se  que  a  presença  das  tradings  e  cerealistas  é mais  forte  no  MS  e  o  mercado  continua  sendo sustentado por essas estruturas, diferente das demais regiões que estão abrindo foco para as esmagadoras”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.