Análise explica intolerância à seca

ÁRVORES

Análise explica intolerância à seca

"Queríamos documentar a trajetória da sensibilidade ao estresse hídrico em resposta ao aumento progressivo dos déficits de incêndios"
Por: -Leonardo Gottems
156 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

Pesquisas recentes mostram que os anéis de árvores contam a história do que está acontecendo fisiologicamente, já que a supressão de incêndios torna as florestas mais densas e menos tolerantes à seca, às pragas e aos incêndios florestais. Nesse cenário, cientistas da Universidade do Estado de Oregon e Utah State University estudaram 2.800 hectares de florestas de coníferas mistas em Oregon central. 

Os resultados, publicados na revista  Global Change Biology  , indicam que à medida que os grupos de árvores se tornaram mais espessos durante o século passado, as árvores foram forçadas a usar isótopos de carbono progressivamente mais estáveis para a fotossíntese, que indica um aumento no estresse devido à seca, uma vez que restringiu a passagem de gases em suas folhas. A pesquisa também sugere que o aumento nos níveis de dióxido de carbono, o CO2 atmosférico aumentou em 40% desde o início da era industrial, não pode ajudar as árvores a superar os efeitos das florestas que se tornaram mais denso sem incêndios. 

"Queríamos documentar a trajetória da sensibilidade ao estresse hídrico em resposta ao aumento progressivo dos déficits de incêndios, e o nível limiar de ocupação do estande, onde a resistência ao estresse hídrico, os besouros da casca e os incêndios florestais foram estabelecidos. Este foi um cruzamento de ecologia de fogo e ecologia fisiológica, duas áreas que não se encontram com a frequência que deveriam”, disseram os autores da pesquisa. 

O futuro trabalho deste grupo de pesquisa irá expandir análise de isótopos de anéis de árvores em diferentes áreas do Oregon e em outros lugares no oeste dos Estados Unidos para avaliar o efeito do aumento da concorrência de incêndios em florestas de coníferas onde poderia ser mais seco e mais quente, e, portanto, oferecer informações mais completas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink