Anvisa pede monitoramento de bebês e grávidas que usam Tamiflu

Agronegócio

Anvisa pede monitoramento de bebês e grávidas que usam Tamiflu

Anvisa pede monitoramento de bebês e grávidas que usam Tamiflu
Por:
221 acessos
Observação deve ocorrer 48 horas e 30 dias após tomarem remédio.

Segurança do Tamiflu neste grupo não pode ser comprovada, diz Anvisa.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou dois alertas nesta quarta-feira (12) orientando profissionais de saúde a monitorarem crianças menores de um ano e grávidas que usam Tamiflu, utilizado no tratamento contra a nova gripe. Segundo a agência, não há dados suficientes para comprovar a segurança do uso do medicamento nestes pacientes.

Para as crianças menores de um ano, a Anvisa recomenda uma avaliação nas primeiras 48 horas e 30 dias após a primeira dose do remédio. Mesmo com a recomendação, a agência diz, no alerta, que há indícios de que este grupo possa ter benefícios com o uso do oseltamivir –nome da substância que compõe o Tamiflu. Além disso, continua o órgão, alguns dados “sugerem que os eventos adversos graves são raros” no uso do oseltamivir para tratamento da gripe sazonal no primeiro ano de vida.

Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, em audiência nesta terça-feira (11) na Câmara, um estudo feito na Inglaterra mostrou que existe um pequeno e curto benefício do uso do remédio no tratamento da influenza sazonal para crianças de até 12 anos, mas com a apresentação de efeitos colaterais.

Quanto às grávidas, a agência pede que elas sejam monitoradas no mesmo intervalo determinado para as crianças e até 30 dias após o parto. Outras avaliações, diz o órgão, devem ficar ao critério do médico responsável. Além disso, o recém-nascido deverá passar por uma avaliação para averiguar se houve alguma reação adversa nele durante a gestação da mãe. De acordo com a Anvisa, as grávidas devem usar o Tamiflu “apenas se o benefício justificar o risco potencial para o feto.” A avaliação deve ser feita pelo médico.

Temporão disse, na terça, que pesquisas feitas nos Estados Unidos mostraram que o vírus da gripe sazonal A já apresentava 99% de resistência ao oseltamivir. Na oportunidade, ele anunciou que o Brasil receberá mais 9 milhões de tratamentos contra a nova gripe até 2010.

Segundo o diretor da Anvisa, Dirceu Barbano, ainda não há relatos de efeitos colaterais em crianças e gestantes, mas a medida serve de alerta. “Em situações normais, esse medicamento não é indicado para esses pacientes, mas como essa é uma situação de emergência é importante que o Ministério (da Saúde) faça esse alerta”, diz. “Se houver alguma situação adversa, os médicos devem notificar a Anvisa.”

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink