Aplicação de defensivos biológicos por drones é alternativa

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
Imagem: Marcel Oliveira
SUSTENTABILIDADE

Aplicação de defensivos biológicos por drones é alternativa

Melhor custo-benefício e eleva também resultados do manejo de lagartas
Por: -Leonardo Gottems

A aplicação de defensivos biológicos por drones vem se tornando uma alternativa de controle de pragas e doenças que mais cresce no Brasil. Um exemplo disso é a recente parceria entre a AgBiTech e três empresas especializadas nessa ferramenta, que vai disponibilizar a tecnologia Chamariz de manejo de lagartas.

O diretor de marketing da AgBiTech, Murilo Moreira, ressalta que ao agregar o serviço de aplicação à comercialização de Chamariz, a AgBiTech transfere precisão, melhor custo-benefício e eleva também resultados do manejo de lagartas pelo produto, recém-lançado, conceitualmente descrito como um “atrativo” para mariposas.

Conforme o gerente de pesquisa e desenvolvimento da AgBiTech, engenheiro agrônomo Marcelo Lima, o novo Chamariz é 100% natural e reduz acima de 95% da população de mariposas em áreas cultivadas. Segundo ele, a tecnologia resulta de uma mistura inédita de extratos de plantas, é segura, eficaz e seletiva a insetos, inclusive abelhas. 

“A tecnologia atrai às mariposas e as controla pela ação combinada a um inseticida adulticida, misturado em baixa proporção”, explica. A recomendação da AgBiTech é iniciar aplicações de Chamariz quando houver aumento no pico populacional de adultos. “O monitoramento de mariposas é essencial na tomada de decisão do tratamento”, observa Lima.

De acordo com ele, análises realizadas até o momento apontam que, aplicado por drones, Chamariz registra desempenho efetivo sobre mariposas de Spodoptera frugiperda, Spodotera eridania, Spodoptera cosmioides, Anticarsia gemmatalis, Elasmopalpus lignosellus, Helicoverpa armigera, H. zea, Chloridea virescens e outras.

Lima destaca ainda que na Austrália a tecnologia Chamariz ganhou adesão de 60% dos produtores, no primeiro ano de lançamento, como ferramenta para manejo de resistência a inseticidas, tendo sido recomendado pelos órgãos reguladores daquele país. Grandes empresas do setor de agroquímicos também chancelam o produto para essa finalidade.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink