Argentinos buscam "ervas daninhas comestíveis"

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
NATUREZA

Argentinos buscam "ervas daninhas comestíveis"

Alternativa busca complementar a dieta dos argentinos
Por: -Leonardo Gottems

Pesquisadores do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA), da Argentina, estão trabalhando em um projeto que busca encontrar ervas daninhas que podem complementar a alimentação das pessoas. Com o objetivo de alavancar o conhecimento existente e aprofundar popular através de pesquisa clássica, técnicos INTA avançar no estudo de espécies espontâneas e também transformá-la numa proposta educativa curioso aberto à comunidade. 

Nos últimos três anos, eles organizaram oficinas dinâmicas que assumem a forma de caminhadas na área, nas quais os participantes aprendem a identificar plantas comestíveis, conhecer suas propriedades e coletar sementes para multiplicá-las na horta. De acordo com Laura De Luca, especialista em agroecologia do INTA Cuenca del Salado, a atividade busca mostrar novas alternativas paras as pessoas. 

"Essas localidades são uma reserva florestal e, portanto, sua área de sombreamento limita a produção hortícola, especialmente no período de inverno; no entanto, as espécies comestíveis espontâneas estão adaptadas a esta condição e podem servir como reforço do jardim”, comenta. 

Segundo De Luca, o impulso das oficinas foi projetado com os objetivos de "valorizar o conhecimento associado com a flora e funcionalidades nativas ou naturalizadas espontâneas, compartilhá-los com a comunidade e inquirir sobre a possível perda de biodiversidade na vegetação circundante ". 

Até agora, o projeto reúne um total de 21 caminhadas feitas em diferentes estações do ano, para observar todo o ciclo de crescimento das plantas, e muito conhecimento registrado. "Algumas espécies espontâneas detectadas na área foram úteis ao suplementar saladas e refeições, como especiarias e condimentos, enquanto outras se destacaram por suas qualidades medicinais", disse a especialista. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink