Baixa disponibilidade de soja eleva cotações
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,704 (-2,06%)
| Dólar (compra) R$ 5,40 (0,43%)

Imagem: Divulgação

PROCURA

Baixa disponibilidade de soja eleva cotações

Esse contexto tem estimulado agentes a negociar a produção das duas próximas safras
Por: -Aline Merladete
512 acessos

O baixo excedente interno, a firme demanda das indústrias nacionais e a retração de sojicultores em negociar novos volumes a curto prazo vêm elevando os valores domésticos da soja e também os prêmios de exportação. Assim, este segundo semestre se inicia com os preços do grão renovando as máximas nominais. Esse contexto tem estimulado agentes a negociar a produção das duas próximas safras.

De acordo com as informações do boletim informativo do Cepea, no mercado spot (com entrega/recebimento em até sete dias), os preços renovam os recordes nominais, mas sojicultores não mostram interesse em vender novos lotes. Vale lembrar, no entanto, que o remanescente da safra 2019/20 no País é de apenas 5%, segundo agentes consultados pelo Cepea. Com isso, os produtores têm expectativas de conseguir maior receita pela venda desse remanescente nos próximos meses.

Na sexta-feira, 24, os Indicadores ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) e CEPEA/ESALQ Paraná registraram novos recordes nominais, fechando a R$ 117,53/saca de 60 kg e a R$ 111,00/sc, respectivamente, 1,3% e 2,2% acima dos patamares observados na sexta anterior, 17. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink