Bayer e Embrapa vão estudar relação de polinizadores com a soja

Agronegócio

Bayer e Embrapa vão estudar relação de polinizadores com a soja

Parceria visa preservação de insetos benéficos
Por: -Leonardo Gottems
1877 acessos

 

A Bayer e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) anunciaram uma parceria que irá estudar a relação entre os insetos polinizadores e os sistemas de produção de soja. O objetivo é ampliar o conhecimento científico sobre a atuação indireta e direta destes agentes no desenvolvimento da cultura – a mais importante commodity brasileira.

“Trata-se de um projeto com grande relevância científica mundial e extremamente importante para o Brasil. O tema ainda é pouco estudado aqui e tenho certeza de que podemos nos surpreender positivamente, viabilizando oportunidades tecnológicas muito interessantes para os sistemas de produção de soja, mapeando os impactos diretos e indiretos dos polinizadores neste sistema”, explica Décio Gazzoni, pesquisador da Embrapa Soja (Londrina/PR) e líder do projeto pela entidade. 

O acordo tem duração de cinco anos e contempla cinco importantes frentes de pesquisa em seis regiões produtoras do País. Uma delas é o estudo dos hábitos de polinizadores (principalmente as abelhas) nas lavouras com o objetivo final de propor soluções para a preservação da saúde destes insetos benéficos: “Com conhecimento aprofundado, podemos formular as estratégias que aliam o controle de pragas com o mínimo de impacto sobre os polinizadores”, explica Gazzoni. 

“Na Bayer somos movidos pelo compromisso com a pesquisa para melhorarmos nossa compreensão a respeito da saúde desses importantes insetos benéficos que contribuem para a polinização de diferentes cultivos. São mais de 30 anos trabalhando globalmente com esta frente, pois entendemos que os polinizadores são essenciais para a sustentabilidade da agricultura. Essa parceria com a Embrapa vai nos ajudar no desenvolvimento de novos estudos para a realidade brasileira”, afirma Bernard Jacqmin,Diretor Desenvolvimento Agronômico da Bayer. 

O trabalho de pesquisa vai procurar entender também como os compostos voláteis emitidos pelas plantas de soja exercem atratividade ou repelência sobre os polinizadores. Essas descobertas abrem caminhos para novas pesquisas em melhoramento genético: “Uma das hipóteses com a qual trabalhamos é a de que a presença de insetos polinizadores poderia complementar a fecundação das flores da soja, aumentando a sua produtividade”, afirma Gazzoni. 

Em outra frente da pesquisa, será estudada a relação entre a diversidade de abelhas domésticas e nativas, o tamanho da população e sua relação com a produtividade de soja. Além da frente dos polinizadores, a Bayer e a Embrapa realizarão avaliações nos materiais genéticos para resistência a percevejos, da empresa e da entidade, cujo objetivo é estudar novas maneiras para o controle desses insetos. Os detalhes financeiros da parceria não foram divulgados. 
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink