Bayer recompensará agricultores sustentáveis
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,170 (1,12%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (-0,36%)

Imagem: Eliza Maliszewski

BRASIL

Bayer recompensará agricultores sustentáveis

500 produtores brasileiros serão avaliados
Por: -Leonardo Gottems
785 acessos

A Bayer está lançando um novo programa que irá recompensar os agricultores que gerarem créditos de carbono a partir de práticas agrícolas sustentáveis. A Iniciativa Carbono Bayer deve ser implementada no Brasil já na safra 2020/2021, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). 

De acordo com a gigante alemã, o projeto envolverá aproximadamente 1.200 agricultores no Brasil e nos EUA. Todos receberão assistência para a implementação de práticas agrícolas sustentáveis, com foco em produtividade com baixo impacto climático e alguns deles serão recompensados pela redução de carbono obtida por meio dessas práticas. 

No Brasil, a Bayer selecionou cerca de 500 produtores rurais, localizados em 14 estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Parana, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Tocantins, Parpa, Bahia, Piaué, Maranhão), com cultivos principalmente de soja e milho. Todos são usuários da plataforma digital Climate FieldView, pois a ferramenta tem papel importante nas medições e implementação do programa. 

"Junto com os produtores vamos desenvolver um modelo de negócio de carbono no país. Trata-se de um mercado com muito potencial, mas ainda intangível para os agricultores brasileiros. Esta iniciativa visa gerar uma base para um modelo que funcione para os produtores, além de estimular a adoção de técnicas, ferramentas e manejo para aumento de produtividade com maior captura de carbono dentro das áreas produtivas", afirma Rodrigo Santos, presidente da divisão agrícola da Bayer para a América Latina. 

Segundo a empresa, a iniciativa irá englobar cerca de 60.000 hectares e o investimento estimado para o programa será de cerca de 5 milhões de Euros, ao longo de três anos, no Brasil. Na prática, os produtores terão como benefício a mensuração do carbono em suas áreas e a experiência para  o acesso ao mercado de carbono, quando estabelecido no Brasil. 

Para o presidente da Embrapa, Celso Moretti, é possível obter maior produtividade por conta do manejo mais adequado, melhorando a renda do produtor. “A disseminação de práticas mais sustentáveis para a agricultura é um dos resultados buscados pela Embrapa. Elas trazem mais eficiência, pois geram benefícios ambientais, econômicos e sociais”, defende Moretti. 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink