Bons resultados incentivam expansão de pomares na região de Maringá (PR)
CI
Agronegócio

Bons resultados incentivam expansão de pomares na região de Maringá (PR)

Por:

Os bons resultados obtidos pelos produtores de laranja nos últimos anos têm incentivado a expansão da cultura na região da Cocamar, em Maringá, no Paraná. "A rentabilidade da fruta tem batido a de qualquer outra cultura, ficando muito acima da soja", afirma Luiz Airton Verdério, produtor de Paraíso do Norte, que junto com três irmãos, Edneu, Valdecir e Ageu, investe na expansão de seus pomares.

Eles possuem 90 alqueires e arrendam mais 408 alqueires na região de Paraíso do Norte. Da área total, 80 são ocupados com soja, 400 com cana-de-açúcar, 15 com laranja – dos quais 10 plantados este ano -, e 2,5 alqueires com café, sem contar uma pequena área de pasto.

Nos próximos dois anos, a família deve plantar 10 mil pés de laranja, ampliando a área em mais 11 alqueires. "Nosso objetivo é viabilizar a estrutura, otimizando o uso dos equipamentos necessários para o pomar", afirma Luiz Airton.

A família Verdério iniciou o pomar de laranja com quatro mil pés em cinco alqueires. "O começo foi difícil porque nós entramos justamente num período em que a laranja estava com preços baixos, e como o investimento inicial é grande, foi complicado. Mas a laranja é uma excelente atividade para se manter na propriedade", ressalta Luiz Airton. Para ajudar nos gastos, nos dois primeiros anos é possível cultivar soja nas entrelinhas. A produção, de acordo com o produtor, praticamente cobre os custos de implantação do pomar.

Luiz Airton comenta que depois de o pomar formado, a laranja não demanda muito trabalho, o que permite que o produtor se dedique a outras atividades, além de contar com a valorização da propriedade. "Depois de formado o pomar, mesmo se houver queda no preço internacional da laranja, a atividade ainda garante uma boa fonte de renda. Vendendo a caixa a US$ 1,36, que é o preço garantido pela Paraná Citrus, dá para se manter tranqüilamente, com uma boa renda", afirma.

Rentabilidade

Com uma produtividade média de 3,85 caixas por pé, no ano passado os Verdério colheram 15.400 caixas, volume que deve chegar a 16 mil caixas este ano. "Considerando uma produtividade média de mil caixas por hectare, comercializada a US$ 2,20, um produtor de laranja teve um custo de R$ 3.750,00, incluindo insumos, serviços, juros, impostos e tudo mais.

Por outro lado, obteve uma renda de R$ 6.600,00, o que garantiu um lucro líquido de R$ 2.850,00 por hectare", afirma Agnaldo da Purificação, engenheiro agrônomo e gerente da unidade da Cocamar em Paraíso do Norte.

Isso significa cerca de 340% a mais que a rentabilidade de soja, por exemplo, levando em conta uma produtividade de 50 sacas por hectare e um preço médio de comercialização de R$ 34,00. O custo total na safra passada foi de R$ 854,00 e a receita bruta de R$ 1.700,00, o que deu uma rentabilidade de R$ 846,00 por hectare.

Troca

Como o custo de implantação do pomar é alto, para ajudar o produtor que deseja iniciar ou ampliar a área de laranja, a Cocamar e a Paraná Citrus estão oferecendo a opção de troca de mudas pela produção, com seis anos para pagar, e três anos de carência, o que possibilita ao produtor pagar com a própria produção.

"O custo da muda é um dos maiores investimentos na implantação. Com as facilidades oferecidas pela Cocamar e Paraná Citrus, além da venda de insumos, orientação técnica gratuíta e garantia de preço mínimo para que tem contrato com a empresa, a implantação do pomar se torna viável e lucrativa", finaliza Luiz Airton.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink