Ceará: chuvas ampliam 6,6% estimativa para safra
CI
Agronegócio

Ceará: chuvas ampliam 6,6% estimativa para safra

Expectativa é produzir 1,07 milhão de toneladas neste ano no CE
Por:
Conforme o relatório, a melhoria dos prognósticos se deve ao crescimento das chuvas na macrorregião do Cariri, que concentra grande parte da produção de milho - carro chefe da safra de grãos cearenses.

Apesar da irregularidade pluviométrica continuar imperando no Ceará, o aumento das chuvas no Interior do Estado, entre 16 de fevereiro e 15 de março, ajudou a reverter, pelo menos temporariamente, o quadro crítico estimado para a safra cearense de grãos para o ano de 2014.

De acordo com a terceira edição do ano do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), a expectativa é que seja produzido 1,07 milhão de toneladas de grãos no Ceará - 6,66% a mais em relação à estimativa de fevereiro (1.004.154 t).

Frente à primeira projeção do corrente ano (1.069.109 t), o volume representa um crescimento de 0,18%. Na comparação com 2013, que foi um ano bastante castigado pela seca, sendo portanto uma base de comparação muito baixa, a atual previsão é de uma safra 339,92% maior do que aquela efetivamente colhida no ano passado.

Motivos para a alta

Conforme o relatório, que é produzido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) por meio do Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias do Ceará (GCEA), a melhoria dos prognósticos se deve ao crescimento das chuvas na macrorregião do Cariri, que concentra grande parte da produção de milho - carro-chefe da safra de grãos cearense.

No período analisado, a média das precipitações pluviométricas observadas no Cariri foi de 206,3 milímetros, superando em 4,6% a média normal de chuvas nessa época do ano, que é 197,2 milímetros na região.

Produtos

O aumento das chuvas, segundo o relatório, motivou agricultores a ampliarem a área destinada ao plantio do milho em municípios das macrorregiões do litoral de Camocim e Acaraú, Sobral, Médio Curu, Sertão de Crateús, Sertão dos Inhamuns, Santa Quitéria, além de Poranga e Iracema.

Dentre os cereais, leguminosas e oleaginosas, também apresentaram crescimento na expectativa de produção para 2014 o algodão herbáceo de sequeiro, a fava, o feijão de corda de primeira e de segunda safras, bem como o sorgo granífero.

Em contrapartida, os produtos que apresentam redução na estimativa de produção nesse ano são o arroz de sequeiro, o feijão de arranca de primeira safra e a mamona. O decréscimo do arroz se deu em função da exclusão do produto em Massapé e a redução da área de plantio em Uruóca e em municípios da macrorregião de Sobral.

Frutas frescas

As chuvas também impactaram na estimativa de produção das frutas frescas. A produção esperada para este grupo, na edição de março do LSPA, é de 1.374.941 toneladas, representando uma alta de 25,51% em relação a safra obtida no ano passado (1.095.518 t). Porém, frente a projeção do mês anterior (1.375.583 t) há redução de 0,05% na estimativa de produção. Em relação ao primeiro prognóstico do ano (1.377.531 t) a retração chega a 0,19%.

Nesse grupo, composto por 19 produtos, 12 apresentaram alteração nas respectivas estimativas de produção, sendo que seis tem previsão de crescimento e outros seis de redução.

Apresentaram projeções positivas a banana irrigada, goiaba irrigada, goiaba de sequeiro, maracujá, seriguela e ata. Já a acerola, banana de sequeiro, laranja, graviola, manga de sequeiro e mamão devem ter redução na produção em 2014.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink