Cenário é positivo para grãos em 2019

PROJEÇÃO

Cenário é positivo para grãos em 2019

A afirmação é o analista chefe de grãos da DATAGRO Consultoria, Flávio Roberto de França Júnior
Por: -Leonardo Gottems
1401 acessos

“Para o próximo ano, as tendências são positivas para o mercado de grãos a nível interno”. A afirmação é o analista chefe de grãos da DATAGRO Consultoria, Flávio Roberto de França Júnior, que apresentou informações sobre o andamento da safra atual (2018/19) de soja e milho no Brasil e as tendências do mercado interno para 2019. 

De acordo com o especialista da consultoria, a forte demanda e as áreas menores de cultivo no Brasil, devem sustentar a Bolsa de Chicago, além dos câmbios e prêmios mais altos: “Os portos brasileiros registram demanda firme, fretes acomodados e melhores logísticas. Existem alguns fatores contrários, como as maiores áreas de cultivo na Argentina, as incertezas sobre a guerra comercial, o aumento dos custos de produção e os impasses dos fretes. As margens serão mais justas, porém, ainda positivas pelo 13º ano consecutivo e os produtores capitalizados”.

A estimativa de crescimento de França Júnior neste mês é próxima à da realizada em novembro. As áreas de cultivo e produção deverão crescer 3% e 1%, respectivamente, nas duas principais culturas brasileiras. França Júnior destacou que o plantio está adiantado, com bom nível tecnológico, e que o padrão climático de La Niña está fraco, provocando um inverno e verão sem grandes anomalias.

Segundo a DATAGRO, a soja possuía 35,2 milhões de hectares na safra 2017/18 e estima-se 36,1 milhões ha na safra atual. Já a produção saltará de 121,4 milhões de toneladas para 122,9 milhões de tons neste ano comercial. O milho possuía 17,3 milhões ha na safra anterior, passando a ter 16,8 milhões na safra 2018/19 e a produção aguardada é de 94,6 milhões de tons, frente as 81,1 milhões na safra anterior.

“A instabilidade do câmbio com a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, além de outros entraves econômicos como a taxa de juros do Fed e a preocupação com a desaceleração da economia global irão influenciar os próximos rumos das cotações’’, diz França. Ele finaliza dizendo que o mercado brasileiro está bastante entusiasmado com a montagem da nova equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro e, que 2019 será um ano de boa fluidez para o agronegócio.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink