Chegou a hora do transplante das primeiras mudas de tabaco à lavoura

Imagem: Marcel Oliveira

Tabaco

Chegou a hora do transplante das primeiras mudas de tabaco à lavoura

Família de Linha Antão antecipa o plantio para ganhar em peso na folha e evitar o verão e possíveis perdas com temporais
Por:
82 acessos

Pelo segundo ano consecutivo a família Câmara-Scherner, de Linha Antão, no interior de Santa Cruz do Sul, antecipou o transplante de mudas de tabaco na propriedade. Nos nove hectares de terra são plantados 50 mil pés de tabaco, em uma ação que já começou. Antecipando em algumas semanas o plantio, os produtores esperam obter mais peso nas folhas e, ao mesmo tempo, evitar o calor excessivo do verão na hora da colheita.

Sirlei Marcos Scherner conta que nos primeiros dias de transplante, na segunda-feira, 25, e nessa terça-feira, 26, pela manhã, ele, a esposa, Liane Gilmara Câmara Scherner, e os pais dela, Asti e Ereneu Câmara, plantaram um total de 12,6 mil mudas. “Se tocássemos uma semana direto, com ajuda de máquina, todas as 50 mil mudas seriam transplantadas de uma só vez”, disse. O trabalho na propriedade, dedicado à produção de tabaco e à criação de gado de corte, é de responsabilidade dos dois casais.

Scherner frisa que o tabaco plantado agora cresce logo e fica com a folha mais forte, por causa das temperaturas mais baixas. A muda não está imune à geada; porém, segundo ele, sofre menos quando adaptada ao canteiro da lavoura. “A gente ganha mais peso e, na hora da colheita, as folhas ficam menos queimadas do sol, assim como o trabalho, que é menos difícil para a gente”, complementou o produtor.

Plantando agora, a família colhe tudo até o fim de outubro, período em que começam também os temporais de vento e granizo, por conta da chegada da primavera à região. “A chuva dos últimos dias também ajudou, pois foi suficiente para garantir a umidade necessária do solo para o transplante das mudas”, destacou Liane. A produtora, que cursa Pedagogia, aproveita o período de aulas a distância para acelerar os processos na lavoura de tabaco da família.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink