Soja

Chineses vão às compras e Porto de Paranaguá bate recorde com três meses de antecedência

De cada dez navios de soja que saem de Paranaguá, nove têm a China como destino.
Por:
259 acessos

O apetite chinês por soja em grão do Brasil fez o Porto de Paranaguá bater o recorde histórico anual de exportação, três meses antes do fim de 2017. De janeiro até o final de setembro, o porto exportou 9,5 milhões de toneladas de grãos de soja, uma marca 12% superior ao antigo recorde anual, de 8,5 milhões de toneladas em 2015, e 27% superior ao total movimentado no ano de 2016 inteiro, quando foram exportadas 7,5 milhões de toneladas.

A Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) calcula que 86% de todo o volume de soja já exportado por Paranaguá, neste ano, teve como destino o mercado chinês. “A produção brasileira é muito competitiva no mercado externo, apesar dos custos logísticos serem elevados no país, motivo pelo qual os compradores chineses se voltam para o mercado brasileiro”, diz o presidente da Ocepar, José Roberto Ricken.

O governo estadual destaca que, nos últimos dois anos, o Porto de Paranaguá bateu 34 recordes históricos de movimentação de cargas, o que seria reflexo direto de investimentos. “Nós fizemos a nossa parte e capacitamos o porto para que hoje a soja possa ser escoada no momento mais interessante para o produtor agrícola do Paraná e do restante do Brasil”, avalia o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Segundo número da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), desde 2011 foram aplicados R$ 624 milhões em reforma e modernização da estrutura física do porto. As ações incluíram troca dos carregadores de navios por equipamentos maiores e com maior capacidade de escoamento de grãos, construção de novos portões de acesso, instalação de balanças e correias transportadoras, além de remodelação do cais.

“Conseguimos absorver toda a demanda dos usuários do porto e, ao mesmo tempo, desafogar as estradas que dão acesso a ele, já que estamos há seis anos sem registrar filas de caminhões”, aponta o diretor-presidente da APPA, Luiz Henrique Dividino.

O Brasil foi o país que mais aumentou a produção de soja entre os exportadores, colhendo cerca de 18,2 milhões de toneladas a mais em comparação à safra passada. Em seguida estão os EUA com 10,4 milhões de toneladas a mais em relação ao ciclo anterior.

O crescimento nos embarques de soja em Paranaguá nos primeiros nove meses do ano foi o mais representativo entre os principais portos brasileiros exportadores de grãos. Enquanto o porto paranaense cresceu 27%, os embarques de soja no Porto de Santos aumentaram em 11% e, no Porto de Rio Grande, em 8%.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink