Chuva prejudica safra de milho no Sertão pernambucano e preços sobem

Agronegócio

Chuva prejudica safra de milho no Sertão pernambucano e preços sobem

Na feira livre de Petrolina, cem espigas são vendidas por até R$ 30; consumidores reclamam mas comerciantes e produtores dizem que o valor pode até aumentar
Por:
389 acessos

A chuva prejudicou a safra de milho no Sertão pernambucano. Em Petrolina, o consumidor tem que pesquisar muito para encontrar um preço melhor e preparar uma mesa farta neste período de festas.

Na feira livre da cidade, poucos vendedores e preços bastante variados. O comerciante Hermano José de Souza estava vendendo cem espigas a R$ 30. Ele explica a alta do preço. “A tendência é aumentar ainda mais, porque a chuva atrasou a produção de milho”, disse. “Mesmo assim a procura está boa”.

Para o produtor Francisco da Silva, o milho está feio e pequeno, o que justifica sua venda a um preço mais baixo: R$ 18 por cem espigas. “É melhor baixar o preço, se não a gente perde tudo”, comentou. “O patrão disse para baixar. A gente vende até seis por R$ 1”.

Alguns consumidores acham que o preço está bom. “Tem que aproveitar para levar para casa”, afirmou o aposentado Evandro dos Santos. Já a costureira Dinalva Francisca reclamou. “Está caríssimo, no ano passado eles vendiam oito milhos por R$ 1, este ano são apenas cinco”.

A diferença de preços chega a 50% - em outra feira na mesma cidade, o cento de milho é vendido, em média, por R$ 15. “O milho de primeira está R$ 20 o cento, o de segunda fica entre R$ 12 e R$15”, oferta o produtor Humberto Evelino. O melhor é pesquisar, para garantir o ingrediente mais importante na preparação dos quitutes juninos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink