Citricultores comemoram boa colheita

Agronegócio

Citricultores comemoram boa colheita

Por:
358 acessos

O inverno chega, e traz consigo não somente o frio, mas também frutas da época, como laranja, poncã, tangerina, bergamota, lima e o limão, são as chamadas frutas cítricas. Mesmo contando com um grande leque de opções em frutas, a estação mais fria do ano exige comidas mais gordurosas e calorosas para o corpo, mas mesmo assim, infinitas opções de consumo podem ser combinadas com estas frutas.

A época de colheita dos cítricos inicia no fim de abril e estende-se até meados de setembro. O frio do Sudoeste é ideal para o cultivo dessas frutas, e produtores comemoram a boa colheita, como é o caso de Luiz Carlos de Barros, do Jacutinga, que está mais do que satisfeito com os resultados de sua produção, mesmo sendo ameaçado pela estiagem.

“O período de seca no começo do ano prejudicou o florescimento da fruta, por isso ela deu menor”, afirma o citricultor, que possui mais de 100 pés de frutas como bergamota, poncã, lima e laranja e as vende na feira popular de Francisco Beltrão.

Produzindo esse tipo de fruta há mais de 15 anos, o produtor mostra que não vive somente dos cítricos. No verão, a opção é plantar variedades que estejam de acordo com a época. “Quando chega o calor a produção acaba e a alternativa é ganhar o pão de cada dia plantando melancia, milho, feijão e outros produtos que dão na época”, afirma ele.

É impossível andar pela feira em Beltrão e não ficar com água na boca em ver a beleza das frutas de inverno. Os produtos que enchem os olhos dos clientes, são os mesmos que garantem alimento na mesa de muitos produtores, como é o caso também da comerciante Juraci Dias, residente da Linha São Braz e que trabalha na produção há mais de 30 anos. “Eu comecei ainda em 1974 ou 76 parei por uns seis anos. Agora, desde 1998 eu vendo os produtos aqui na feira. Foi assim que eu criei meus filhos e este é uma das melhores colheitas que eu já fiz em todos esses anos”, relata a produtora.

Ela ainda conta que no verão, também vê como saída a produção de frutas e alimentos da época. O milho, a batata doce, verduras, mandioca e pepino garantem o sustento dela e de seu marido, que esperam obter uma boa lucratividade no inverno, tendo em vista que a produção das frutas cítricas foi boa em comparação com os produtos de verão, afetados pela estiagem. “O que a gente consegue produzir a gente planta na nossa propriedade”, exclama Juraci.

Sua saúde agradece

Essas frutas também são ricas em vitaminas e antioxidantes. Ao consumir frutas cítricas é possível reduzir o risco de algumas doenças em até 50%. Isso ocorre pelas suas propriedades e por obter uma boa concentração de antioxidantes, pois eles combatem os radicais livres, que por si atacam o sistema imunológico.

A fruta com maior quantidade de antioxidantes é a laranja, que possui cerca de 170 tipos de fitoquímicos e também mais de 60 flavonóides, que tem propriedades anti-inflamatórias. Lembrando também que essas frutas são ricas em vitamina C. Seu consumo é ideal para evitar gripes e resfriados.
As fibras presentes tanto na casca quanto no bagaço das frutas cítricas ajudam na redução do colesterol e também melhoram o funcionamento do intestino.

O consumo do bagaço de frutas cítricas proporciona mais saciedade. Com elas você come menos e nem sente falta de comida.

As frutas cítricas ajudam o organismo a absorvem melhor o ferro. O efeito é resultado da ação da vitamina C. Por isso, sempre que comer carne, tente comer alguma fruta cítrica ou tomar um suco na mesma refeição. A vitamina C, presente nas frutas cítricas em maior quantidade que em outros alimentos, combate os radicais livres e o envelhecimento da pele.

Geada traz benefício

Chega esta época e agricultores de toda a região batalham para não perder sua produção. A geada queima plantas prontas para serem colhidas e prejudica o crescimento de várias variedades, obrigando os agricultores a usarem-se de meios artificiais para evitar percas. Nas muitas culturas prejudicadas, como a de saladas, estufas amenizam a situação.

Apesar dessas precauções, a geada não é encarada pelos agricultores apenas como uma inimiga. O citricultor Luiz de Barros, por exemplo, explica que ela também traz benefícios às plantações, como a eliminação de pragas.

“Essa é uma das vantagens da produção de frutas de inverno. Além de evitar gastos e preocupação com a eliminação de pragas que atingem as frutas, podemos oferecer aos clientes uma produção totalmente orgânica”, ressalta ele.

A produtora Juraci Dias utiliza-se de meios caseiros de combate a pragas, como cinzas e produtor orgânicos, mas diz que não são tão necessários devido à baixa temperatura.

Com a estiagem prejudicando e a geada beneficiando os citricultores, fato é que mesmo enfrentando calor e frio, os produtores comemoram a boa colheita.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink