Classificação mundial do BHC é de lixo tóxico

Agronegócio

Classificação mundial do BHC é de lixo tóxico

Produto pode intoxicar através da ingestão, inalação e absorção da pele
Por: -Redação
79 acessos

Fernando Alves de Albuquerque, agrônomo e professor de entomologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), explica que o BHC é um organoclorado que apresenta molécula de cloro extremamente resistente e perigosa. Ele acrescenta que o produto pode intoxicar através da ingestão, inalação e absorção da pele. Os riscos para o meio ambiente também são enormes, razão pela qual a retirada do veneno das áreas onde está estocado deveria ser uma prioridade.

"Até o final da década de 70, este produto foi largamente utilizado na região Noroeste do Paraná em lavouras de café, algodão e frutas. Até a década de 90 muitos organoclorados foram utilizados para dizimar formigueiros", diz Fernando Albuquerque.

O agrônomo destaca que o BHC apresenta uma molécula estável, ou seja, não desaparece do solo com facilidade. "Com isso, ele é capaz de contaminar alimentos, mananciais e até viajar grandes distâncias na atmosfera", alerta.

"No solo, sofrendo a ação do tempo, bactérias e outros fatores, o BHC leva dezenas de anos para desaparecer. Imagine este produto estocado. São altamente perigosos e devem ser eliminados o mais rápido possível", enfatiza o agrônomo.

Intoxicação

Dores de cabeça, náuseas, vertigens, transpiração fria, falta de coordenação motora e convulsões são alguns dos sintomas associados à intoxicação pelo organoclorado. No Brasil, oveneno também foi utilizado por vários anos na área de saúde e servia para combater o bicho barbeiro, responsável pela Doença de Chagas.

O produto foi utilizado durante a Segunda Guerra para matar piolhos e pulgas. Era jogado diretamente no corpo dos soldados e usado sem a menor proteção. Estudiosos acreditam que os resíduos químicos desse agrotóxico levam pelo menos 100 anos para se dispersar no solo. Dados comprovam que o BHC atinge o sistema nervoso central das pessoas.

Antes do Brasil, alguns países decidiram retirar o BHC de circulação nos anos 60, como os Estados Unidos. Hoje, é considerado um dos 12 poluentes mais perigosos já fabricados e tem classificação de lixo tóxico.

Recomendação

Os produtores têm que cadastrar o estoque de BHC junto a Emater, IAP, ou Secretaria da Agricultura

O produtor que se autodenunciar não sofrerá punição

Estocar o produto em local seco e fechado

Manter longe do alcance de animais e pessoas

Não deixar o produto cair no solo, evitando contaminação de minas e rios

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink