CNA, Aprosoja, Abrapa e GAAS promovem seminário sobre a produção on farm de bioinsumos
CI
Imagem: Nadia Borges
EVENTO

CNA, Aprosoja, Abrapa e GAAS promovem seminário sobre a produção on farm de bioinsumos

O evento reunirá especialistas para debater a eficiência, a segurança e a regulamentação da produção destes insumos
Por:

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e o Grupo Associado de Agricultura Sustentável (GAAS) realizam, no próximo dia 17 de novembro, às 14h, um seminário sobre a produção on farm (na fazenda) de bioinsumos.

O evento reunirá especialistas sobre o tema para debater, entre outros pontos, a eficiência, a segurança e a regulamentação da produção destes insumos em sistemas convencionais e orgânicos na própria propriedade e sua utilização pelos produtores rurais.

Os bioinsumos são insumos biológicos de origem animal, vegetal ou microbiana, que contribuem para o desenvolvimento da produção agropecuária e dos sistemas de produção aquáticos ou florestais.

Segundo o presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Ricardo Arioli, a utilização de bioinsumos tem crescido no país e sua regulamentação para garantir segurança jurídica para a produção na fazenda e o uso próprio desses insumos (on farm) estão entre as prioridades da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

“É importante fomentarmos a discussão sobre a produção de bioinsumos, que tende a ser um divisor de águas na agricultura brasileira. A produção on farm será um catalizador para a ampliação do acesso a esses insumos”, destacou.

“A partir do momento que construirmos uma regulamentação, que garanta o acompanhamento profissional, defina protocolos para produção, exija treinamentos e priorize a eficiência e a qualidade, a produção on farm só tende a somar para os ganhos de produtividade que a agricultura brasileira vem obtendo nos últimos anos”, afirmou Arioli.

Para o diretor executivo da Aprosoja Brasil, Fabrício Rosa, o setor de soja utiliza bioinsumos há anos e debater a produção on farm é de extrema relevância para os produtores.

“O uso de inoculantes para a fixação biológica de nitrogênio faz parte da revolução da sojicultura brasileira nos ganhos produtivos e de sustentabilidade da mesma forma que o uso na defesa sanitária vegetal. Assim, o evento será de extrema relevância para discutirmos os meios de aprimorar a regulamentação, ampliar a eficiência e garantir a segurança sem ressarcir o direito dos produtores de realizar a produção na própria fazenda”, pontuou Fabrício.

Segundo o presidente do GAAS, Rogério Vian, o evento será uma excelente oportunidade para debater a produção on farm com representantes da agricultura orgânica, da agricultura convencional, da indústria de defensivos agrícolas, de pesquisadores e do governo em busca da eficiência, segurança e regulamentação adequada da produção desses insumos.

“É de fundamental importância que seja mantido e aprimorado o modelo de produção de microrganismos na fazenda. O anseio do setor é pela manutenção da sustentabilidade econômica, com benefícios diretos ao produtor, mas buscando sempre os ganhos para o meio ambiente e para a sociedade como um todo. O evento sem sombra de dúvidas contribuirá para essa construção”, afirmou Rogério Vian.

A eficiência e as pesquisas dos bioinsumos para a cultura do algodão também serão debatidos. Segundo Marcio Portocarrero, diretor executivo da Abrapa, o setor de algodão tem recorrido cada vez mais às certificações e à sustentabilidade da cotonicultura brasileira. Desta forma, ressaltou, a produção e a utilização de bioinsumos só têm a contribuir com esse processo.

“A utilização da ciência em prol da eficiência e segurança na produção on farm encontra-se entre as prioridades do setor de algodão. Debater com especialistas e diferentes segmentos vai ser uma forma democrática de se construir uma regulamentação justa e factível para a produção desses insumos na própria fazenda”, afirmou Marcio.

O evento contará com a participação também de representantes do Instituto Brasil Orgânico (IBO), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Mato-Grossense do Algodão (IMAmt) e CropLife Brasil.

O evento será transmitido pelo site Agro pelo Brasil

Acesse aqui para saber mais sobre o evento

Acesse aqui a programação completa.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink