Colheitadeiras pegam fogo durante colheita

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia nossos Termos de Uso e Termos de Privacidade. Ao clicar em Aceitar & Fechar, você consente com a utilização de cookies.


CI
Imagem: Corpo de Bombeiros
PREJUÍZO

Colheitadeiras pegam fogo durante colheita

Esse tipo de sinistro está se tornando rotineiro na colheita
Por: -Eliza Maliszewski

Neste final de semana foram registrados mais três acidentes com colheitadeiras em pleno trabalho.  O clima seco fez máquinas pegarem fogo e as chamas se espalhara depressa em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.

No primeiro caso a máquina trabalhava na colheita de soja em uma lavoura de Fontoura Xavier (RS) quando pegou fogo. Segundo a Rádio Planalto ainda não se sabe as causas do fogo e ninguém ficou ferido. Uma parte da soja que estava seca também foi queimada. A máquina teve perda total. 

Com a safra a todo vapor o número de acidentes com máquinas tem aumentado. No último sábado foram necessários 6 mil litros de água para apagar o fogo em uma colheitadeira e na lavoura de soja, em Videira (SC). Segundo os bombeiros, a colheitadeira era operada por um homem de 35 anos e o fogo começou no motor. As chamas se alastraram também na lavoura de soja. Ninguém ficou ferido. A máquina era avaliada em R$ 55 mil.

Também em Santa Catarina, em uma fazenda no interior de Campos Novos, no Oeste, outra colheitadeira pegou fogo no sábado. Conforme os bombeiros, os próprios funcionários do local conseguiram controlar as chamas, sendo necessário apenas o resfriamento da máquina. Foram usados mil litros de água. As causas não foram informadas pela equipe.

No caso de colhedoras e enfardadoras os principais fatores que contribuem para o risco de incêndio são: acúmulo de resíduos da colheita (material combustível) em torno do motor e do sistema de exaustão, que são fontes de calor; acúmulo de resíduos de colheita entre polias e correias que podem sobreaquecer devido ao ao atrito;  fiação elétrica e conexões que podem se desgastar e provocar faíscas em contato com poeira de grãos ou vapores de combustível. O produtor deve se alertar para a manutenção do equipamento, verificar equipamentos de segurança e redobrar os cuidados na operação com palhada e vegetação alta, reabastecer com veículo desligado e evitar fontes de fogo como cigarros.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink