Começa a faltar carne suína na Colômbia
CI
Imagem: Pixabay
GREVE

Começa a faltar carne suína na Colômbia

Protestos já duram 14 dias e impactam produção e venda de suínos
Por: -Eliza Maliszewski

A crise e os protestos contra o governo na Colômbia já se estendem por 14 dias e começam a impactar diversos setores do agronegócio local. Depois dos cafeicultores e dos criadores de frangos agora o impacto é sentido na suinocultura.

VEJA: Greve na Colômbia também afeta aves

Segundo dados da Associação Colombiana de Produtores de Carne Suína Porkcolombia (FNP), 55% da produção de suínos do país foi afetada por manifestações e bloqueios de estradas, vandalização e ameaças à segurança e vidas de trabalhadores e empresários, saques em fazendas , impedimentos à mobilização de alimentos balanceados para suínos, animais para fábricas de processamento e carnes para os diferentes canais de comercialização do país. 

A produção diária na Colômbia é de 1.300 toneladas de carne suína e devido aos efeitos da greve nacional, 720 toneladas por dia deixaram de ser produzidas e comercializadas, o que representa perdas para o setor suíno que já chegam a 100 bilhões de pesos. Conforme relatado pela Porkcolombia, essas perdas são responsáveis por altas de custos devido ao maior estoque na fazenda, quedas na comercialização, bem como um menor peso dos suínos que estão sendo comercializados.

Da mesma forma, o sindicato dos criadores de suínos chama a atenção para o alto risco de desnutrição e morte que 3.750.000 porcos correm atualmente porque a alimentação balanceada não conseguiu chegar a 5.700 fazendas de suínos no país. Os excessos nos custos de produção devido ao represamento de animais de criação e as dificuldades de mobilização e comercialização são evidentes nos pontos de venda do país, onde o volume disponível caiu 50% e em regiões altamente afetadas, como o Vale do Cauca, o corte chega a 80% . 

O impacto no bolso das famílias colombianas também faz parte da situação dramática, já que os preços ao consumidor subiram em média 20% na última semana, embora, é claro, nas áreas mais afetadas com escassez, qualquer preço nominal é irrelevante. não pode obter carne de porco em praticamente qualquer condição. Diante desta grave situação, os suinocultores clamam ao Governo Nacional para que encontre soluções imediatas para enfrentar os riscos de escassez que ameaçam a segurança alimentar do país e a segurança pessoal de milhões de trabalhadores rurais e empresários.

Segundo um jornal local os suinocultores reiteraram o apelo aos manifestantes para não bloquear a passagem de veículos que transportam animais, alimentos balanceados e carne suína para alimentar milhões de colombianos.

 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.