Como amenizar impactos das chuvas em excesso
CI
Imagem: Marcel Oliveira
HORTALIÇAS

Como amenizar impactos das chuvas em excesso

Manejo adequado e uso de produtos com melhor tecnologia de aplicação em condições de adversidade são algumas das alternativas
Por: -Aline Merladete

As perdas provocadas pelo prolongamento das chuvas nas plantações de hortaliças, especialmente tomate, cenoura, batata e cebola, podem ser manejadas com medidas adequadas. O engenheiro agrônomo e suporte técnico da empresa Satis na área de HF, Décio Shigihara, explica que o excesso de chuvas provoca um estresse nas plantas, tornando-as mais suscetíveis de serem acometidas por doenças (fungos, bactérias e nematoides diversos) e pragas. Além disso, embora as aplicações sejam mais constantes, a eficiência fica prejudicada devido à chuva. “Cada tipo de planta ou variedade tem quantidade de água que pode aguentar, sendo que o excesso ou falta pode prejudicar as culturas”, complementa.

De acordo com Shigihara, os efeitos adversos ocorrem tanto na qualidade, com alteração de tamanho, cor e sabor, quanto na quantidade, com queda de produtividade, redução de colheitas e maior custo de produção. Ele orienta que os produtores, além de aperfeiçoar o monitoramento de pragas e doenças, devem utilizar produtos que tenham melhor desempenho e, ainda, munir-se de tecnologia de aplicação em condições de adversidade.

Para essas situações, ele exemplifica que a Satis oferece o Vitaphix power e oil que potencializam as pulverizações, o Humicbor com características de fornecimento de boro enriquecido com polióis e com substâncias húmicas, que diminuem as perdas, onde outras fontes podem ser lixiviadas (ação da chuva). Também são indicados produtos complementares no manejo de doenças, como o Fulland, e soluções direcionadas ao manejo nutricional mais eficiente de fósforo, como o Sturdy. Já para o manejo fisiológico de estresse das plantas, pode ser adotado o Vitakelp, e ainda o uso de produtos biológicos que são favorecidos devido às condições de umidade desta época.

Com essas orientações, o engenheiro agrônomo afirma que os resultados têm sido positivos, com ganhos de 20% a 30% na qualidade e produtividade das plantas. Para o período das chuvas, a dica é ficar atento à lixiviação de nutrientes, repondo os níveis de nutrição que atendam à demanda das plantas. “E sempre trabalhar de forma preventiva no manejo nutricional, e ainda das pragas e doenças”, alerta.

assessoria de imprensa*


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.