Como ficam as chuvas na segunda quinzena de março?
CI
Imagem: Arquivo
PREVISÃO

Como ficam as chuvas na segunda quinzena de março?

Condições já indicam um padrão típico de Outono
Por: -Aline Merladete

A primeira quinzena de Março foi marcada pelo retorno das chuvas expressivas ao sul do país, trazendo até mesmo uma recuperação hídrica do solo e o aumento no vigor das lavouras que se encontravam nos estádios de desenvolvimento vegetativo e maturação. 

Essas chuvas mais frequentes e volumosas foram refletidas na média do período, particularmente no sul do Mato Grosso do Sul, sul de São Paulo e nos três estados do sul. Em algumas áreas da região Norte e Mato Grosso os volumes registrados também se mostraram acima da média para o período. 

Parte das chuvas no extremo norte do país, ocorrem por conta da antecipação da atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). Um importante corredor de umidade que determina a estação chuvosa sobre o extremo norte do país. 

Por outro lado, a metade norte da região sudeste, Goiás e sul da Bahia passaram por períodos mais secos nessa primeira quinzena, graças a atuação de áreas de alta pressão, que diminuem e até mesmo impedem a formação das nuvens carregadas.

Desvio da chuva em relação à média na primeira quinzena de março.

O panorama para os próximos 15 dias mantém um padrão de chuvas com um comportamento muito semelhante ao registrado na primeira metade do mês. Isso se torna um fator de preocupação para as lavouras do sul da Bahia, norte de Minas Gerais e Espírito Santo, localidades que registraram poucas chuvas ao longo do primeiro período. E caso a previsão se confirme com os volumes inferiores aos 20 mm, haverá impactos na semeadura da safrinha e posteriormente redução no potencial produtivo das lavouras.

Por outro lado, no sul do país os acumulados de chuva podem superar os 150 mm em algumas regiões, devido ao avanço de novas frentes frias ao longo do período, já caminhando para uma característica típica do outono. E estes volumes previstos são suficientes para manter uma boa quantidade de umidade no solo, favorecendo o desenvolvimento das lavouras na maior parte da região.

Em toda a faixa norte do território nacional, com a maior aproximação da ZCIT e as instabilidade típicas da região, as chuvas serão intensas e frequentes. O destaque fica para a parcela central do Maranhão, norte do Piauí e nordeste do Pará, onde há condições para volumes acima dos 350 mm  ao longo da quinzena. Também pode chover bem sobre o Ceará e Rio Grande do Norte.

De maneira geral, as chuvas previstas para a segunda quinzena de Março são suficientes para manter as boas condições hídricas para os cultivos, mas com duas localidades que merecem uma maior observação. O norte de Minas e sul da Bahia com um potencial risco de estiagem para os próximos dias e o extremo norte do país com o excesso de chuvas que poderão causar impactos pontuais nas lavouras. 

Material exclusivo elaborado pela equipe Agrotempo.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.