Como vai a soja pelo país
CI
Imagem: Pixabay
REGIÕES

Como vai a soja pelo país

Enquanto alguns estados seguem em bom desenvolvimento, em outros o clima tem prejudicado
Por: -Eliza Maliszewski

Segundo o Boletim de Monitoramento Climático, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), as condições do clima estão mais favoráveis na safra 2021/22 do que no ciclo passado. Na soja enquanto alguns estados seguem em bom desenvolvimento, em outros o clima tem prejudicado. Veja como está a cultura pelas diferentes regiões:

MATOPIBA: Geralmente a semeadura é mais tardia se comparado aos estados do Centro Sul, pois a estação chuvosa ocorre a partir de novembro. Ainda assim, as operações já iniciaram de forma incipiente e localizadas no sul do Maranhão, Piauí,Tocantins e em áreas irrigadas no oeste da Bahia.

Goiás: Clima está favorável ao andamento do plantio, que se aproxima da metade da área prevista semeada. Destaque para o cultivo no sudoeste goiano, que é a principal região sojicultora do estado. Nessa região ocorreram chuvas abundantes recentemente, porém sem atrapalhar o ritmo de plantio. Na região leste do estado, onde historicamente o plantio ocorre cerca de 2 a 3 semanas depois, as chuvas acumuladas estão propiciando o início da semeadura em ritmo lento.

Mato Grosso: Os produtores do estado dispõem de um enorme poder operacional, permitindo que, em condições climáticas favoráveis da atual safra, o ritmo de semeadura seja bastante intenso. Já são mais de 65% da área prevista cultivada até o fim do segundo decêndio de outubro. As lavouras implantadas vêm apresentando bom desenvolvimento vegetativo.

Mato Grosso do Sul: Os últimos dias foram de clima mais estável, favorecendo a execução das operações de semeadura, pois até então as chuvas eram intensas, dificultando o trabalho das máquinas. Cerca de 40% da área prevista já está semeada e as lavouras implantadas vêm apresentando bom desenvolvimento, inclusive com muitos produtores realizando manejos em pós-emergência, para controle de plantas daninhas e pragas, como a “Vaquinha” (Diabrotica speciosa).

São Paulo: Solos encharcados dificultam o trabalho de semeadura, inclusive com importantes regiões sojicultoras do estado ainda sem iniciar as operações de plantio, como as regiões oeste e sudoeste paulista. No entanto, as lavouras já implantadas são beneficiadas pela umidade nos solos e evoluem de modo satisfatório dentro do ciclo fisiológico.

Minas Gerais: Clima considerado favorável ao plantio da cultura, mesmo que haja excesso de precipitação em algumas regiões. De maneira geral, o ritmo das monitoramento das lavouras 13 operações é bom e o percentual de área semeada é maior do que o mesmo período na safra passada: 15% em 2021 contra 9% em 2020.

Paraná: Assim como em São Paulo, o excesso de chuvas recente inviabilizou um maior avanço da semeadura em diversas regiões do estado. No entanto, já são quase 40% da área prevista cultivada, com bom desenvolvimento das lavouras já implantadas.

Rio Grande do Sul: A semeadura evolui em ritmo lento no estado, chegando a 5% da área prevista até o fim do segundo decêndio de outubro. Os produtores seguem com os trabalhos de dessecação e aproveitam o momento para realizar o preparo de novas áreas. Em razão de possíveis períodos de estiagem previstos para o último trimestre do ano, os sojicultores planejam o escalonamento da semeadura visando minimizar os impactos negativos na cultura.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.