Conab confirma recorde de 257 milhões de toneladas
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,680 (-0,59%)
| Dólar (compra) R$ 5,47 (1,26%)

Imagem: Pixabay

SAFRA

Conab confirma recorde de 257 milhões de toneladas

A soja foi o carro-chefe colocando o Brasil como maior produtor mundial
Por: -Eliza Maliszewski
2937 acessos


A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou no começo da manhã desta quinta-feira (10) o 12º Levantamento de Grãos com os resultados da safra 19/20. Foi confirmado um recorde histórico, somando 257,8 milhões de toneladas de grãos no país. Esse volume é 4,5% ou 11 milhões de toneladas superior ao da safra passada.  A evolução foi somada pelo aumento da área plantada em 4,2%, fechando em 65,7 milhões de hectares e também avanço em produtividade em 0,3%, a uma média de 3,912 kg/hectare.

A soja foi o carro-chefe colocando o Brasil como maior produtor mundial. A oleaginosa também alcançou um recorde de 124,8 milhões de toneladas e ganho de 4,3% em relação à safra 2018/19. Foram plantados 36,9 milhões de hectares. Os maiores produtores são Mato Grosso, na liderança disparada com 35,8 milhões de toneladas (avanço de 8,9%); em segundo lugar aparece o Paraná, com 21,5 milhões de toneladas (avanço de 27,6%); e em terceiro desponta Goiás, com 13,1 milhões de toneladas (avanço de 8,8%). O segundo e terceiro colocados tomaram a posição que era do Rio Grande do Sul e sofreu com a estiagem. A produção gaúcha caiu de 19,5 milhões de toneladas na safra anterior para 11,4 milhões de toneladas, uma baixa de 41,4%.

Outro bom resultado é o do milho. O resultado total das três safras caminha para o final, faltando apenas lavouras cultivadas na região de Sealba, além de Pernambuco e Roraima. A participação desses estados é de algo próximo a 1,7% no consolidado nacional. A primeira safra já foi colhida e a segunda está em finalização. A expectativa é fechar em mais de 102 milhões de toneladas, um aumento de 2,5%.

Outro que encerra com destaque é o algodão em pluma, que está para alcançar a marca recorde de 2,93 milhões de toneladas, com crescimento de 4,2%  acima do período anterior. O dado positivo se deve aos investimentos feitos nessas lavouras e ao clima.

Para o arroz fica o registro produtivo de 11,2 milhões de toneladas e crescimento de 6,7% em relação à última safra. Com colheita praticamente finalizada, 10,3 milhões de toneladas estão em áreas de cultivo irrigado e cerca de 900 mil toneladas em plantio de sequeiro.  No caso do feijão, a estimativa de produção total é de 3,23 milhões de toneladas, principalmente do feijão-comum cores, com aumento de 6,4% ao obtido em 2018/19. A primeira e a segunda safras já estão encerradas.

Safra de inverno

O trigo, principal cultura da estação, está em etapas que vão da fase vegetativa à finalização de colheita. Expectativa de 6,8 milhões de toneladas, uma alta de 32,2% mas esses números ainda dependem de como será a evolução das lavouras após geadas fortes no Rio Grande do Sul. Os prejuízos ainda estão em fase de levantamento.

As outras culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada trigo e triticale) devem alcançar crescimento de 11,6% na área de cultivo, com destaque para o trigo, que apresenta expansão de 14,1%, situando-se em 2,33 milhões de hectares e, produção, dependendo do comportamento climático, de 6,8 milhões de toneladas.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink