Concorrência acirrada no mercado de sucos prontos


Agronegócio

Concorrência acirrada no mercado de sucos prontos

Por:
857 acessos

A Mais Indústria de Alimentos cresce na briga pelo mercado nacional de sucos prontos para beber, liderado pela mexicana Del Valle. O resultado da pesquisa do ACNielsen mostrou que a fábrica ampliou de 4,6% para 9,7% sua participação no segmento, entre dezembro de 2002 e janeiro de 2003, frente ao bimestre anterior. Surpreso, com a rápida arrancada para o quarto lugar no ranking, o diretor da indústria, Victor José Bicalho Purri, anunciou que a meta de produção para 2003, inicialmente de 45 milhões de litros de sucos, será revista. "Nosso alvo era atingir 10% só em dezembro e isso foi antecipado."

A marca já é líder em Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, com 36,2% da preferência, segundo o ACNielsen. O perfil do público identificado no levantamento é jovem, além da dona de casa. A estratégia, neste ano, é atacar com maior agressividade São Paulo e Rio de Janeiro, mercados com mais da metade da clientela consumidora de sucos. O marketing, com o orçamento superior a R$ 5 milhões, terá como foco as campanhas de degustação, com a presença de demonstradoras nos pontos de vendas, além da participação em eventos e feiras no exterior, numa parceria com a Associação das Indústrias Processadoras de Frutos Tropicais (ASTN).

A linha de produtos é formada por oito sabores tradicionais (pêssego, maçã, uva, caju, laranja, goiaba, manga e maracujá) e quatro lights (pêssego, goiaba, manga e uva). No segundo semestre, novos sabores serão lançados pela grife.

A fábrica da Mais, com sede em Linhares (ES), foi inaugurada em junho de 2002. Sua capacidade instalada é de 70 milhões de litros/ano, mas o projeto prevê expansão para 100 milhões. A indústria, nacional, é formada por corporações mineiras. O Grupo WRV, ex-dono do Mineirão - vendido ao Carrefour - participa com 60%. Já a Monte Santo Tavares, com 40%, é ex-controladora do Café Três Corações (vendido à israelense Strauss Elite) e atuação em exportação de café, hotelaria, construção civil, postos de gasolina e fazendas.

Antes mesmo de consolidar seu nome no mercado interno, desde o mês passado, a Mais iniciou exportação para Portugal, EUA e China. Paralelamente, negocia com tradings japonesas, italianas e alemãs. O plano é exportar 10% de sua produção deste ano, cujo volume ainda depende de uma revisão.

Além da líder Del Valle, os concorrentes da Mais são as outras marcas que tem a Macropack como terceirizada, seguido da Tampico (refresco). O consumo no Brasil de sucos prontos para o consumo é abaixo de dois litros por habitante/ano, enquanto nos Estados Unidos ele atinge cerca de 24 litros.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink