Conferência Internacional debaterá situação da Febre Aftosa no mundo

Agronegócio

Conferência Internacional debaterá situação da Febre Aftosa no mundo

O evento, que segue até sexta-feira, dia 26, é promovido pela OIE – Organização Mundial de Sanidade Animal e FAO - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação
Por:
485 acessos

As estratégias de vigilância contra Febre Aftosa e a qualidade dos serviços veterinários no mundo são alguns dos temas da Conferência Mundial sobre o controle da Febre Aftosa, que será realizada a partir desta quarta-feira, dia 24, em Assunção (Paraguai). O Tocantins que vem se destacando no combate à doença, foi convidado para participar do encontro e será representado pelo presidente da Agência de Defesa Agropecuária, Humberto Camêlo e pela diretora de Defesa Animal, Márcia Helena da Fonseca.

O evento, que segue até sexta-feira, dia 26, é promovido pela OIE – Organização Mundial de Sanidade Animal e FAO - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. Irá enfocar principalmente a situação da doença no mundo, buscando garantir a segurança alimentar e a diminuição da pobreza.

Nos três dias de conferência, 450 participantes de mais de 100 países, entre diretores de serviços veterinários, especialistas e pesquisadores discutirão os temas. “A participação nesse evento pode abrir portas para a troca de informações com outros países visando melhorar ainda mais nosso sistema de defesa. É uma experiência ímpar para o Tocantins”, explica o presidente da Adapec, Humberto Camêlo.

Apesar dos esforços mundiais, segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em todo o mundo mais de 100 países não estão livres da doença. Dos 174 membros da OIE atualmente, 64 países membros são reconhecidos livres de febre aftosa sem vacinação e um país é livre com vacinação. Outras cinco nações ou territórios têm zonas livres com vacinação e 10 países têm áreas livres sem vacinação.

No Brasil, além do Tocantins, outras 15 unidades da federação são internacionalmente reconhecidas como livres de aftosa com vacinação. Apenas o estado de Santa Catarina detém o status de livre da doença sem vacinação.

Entre outros temas que serão abordados na Conferência estão: Recentes pesquisas sobre prevenção e controle da febre aftosa; Questões sócio-econômicas (incluindo o acesso ao mercado) relacionadas com a segurança alimentar; Impacto e eficácia do controle da febre aftosa no mundo da produção alimentar; Vacinação; Diagnóstico e o Comércio Internacional.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink