Congresso reúne profissionais que lidam com a produção de alimentos de origem animal no país


Agronegócio

Congresso reúne profissionais que lidam com a produção de alimentos de origem animal no país

Por:
10 acessos

Zootecnistas de todo o país têm encontro marcado no V Congresso Internacional de Zootecnia e XIII Congresso Nacional de Zootecnia Zootec/2003, que será realizado de 11 a 13 de maio, em Uberaba(MG). O evento, que integra a programação da ExpoZebu/ 2003, será promovido pela Associação Brasileira de Zootecnia(ABZ), Faculdades Associadas de Uberaba(FAZU) e Associação Brasileira dos Criadores de Zebu(ABCZ).

O tema desta versão do congresso será “Ambiência Eficiência e qualidade na produção animal”. Ambiência é o estudo de técnicas de produção em ambiente favorável ao bem-estar do animal.

O congresso, anual, é promovido de forma itinerante. No ano passado, a sede foi o rio de Janeiro. Na versão de 2001, promovida em Goiânia, Uberaba foi a escolhida, em função da FAZU, que mantém um curso de zootecnia desde 1975.

Os organizadores querem apresentar a “ordem do dia” da zootecnia, explicou o professor Alexandre Bizinoto, presidente do Zootec/2003. Para isso, o congresso vai explorar bem os perfis técnico e científico do profissional, usando como ferramentas os assuntos atuais, as exigências do mercado, as melhores linhas de trabalho e as dificuldades da produção animal no Brasil. Além disso, o evento tem o objetivo de consolidar e divulgar a zootecnia como instrumento fundamental para o desenvolvimento das ciências agrárias no país.

Quem é o zootecnista. A zootecnia foi criada no século 19, na França, com a instalação do Instituto Agronômico de Versailles. O início no Brasil aconteceu há menos de 40 anos em Uruguaiana(RS), exatamente no dia 13 de maio de 1964. Em 1968, o exercício da profissão foi oficializado por lei. Poucos sabem no Brasil que o zootecnista é o profissional formado para criar e desenvolver sistemas de produção de alimentos para o homem, através da criação de animais. Cabe a ele explorar a produção animal de maneira viável, econômica e sustentável. Em outras palavras, o zootecnista tem o conhecimento específico para explorar e melhorar a qualidade de alimentos produzidos por grandes(bovinos), médios(caprinos e ovinos) e pequenos animais.

Até há poucas décadas, o trabalho de produção animal era realizado por médicos-veterinários cuja formação é baseada em maioria de disciplinas das áreas de clínica e cirurgia médica e por engenheiros-agrônomos cuja formação está centrada principalmente na produção agrícola.

A formação em zootecnia tem como base disciplinas voltadas para sistemas de produção, que incluem a alimentação, as instalações na fazenda, o melhoramento genético do rebanho, a produção de volumosos(silagem e feno), e o calendário de vacinas e de combate a vermes e parasitas, bem como a sua prevenção.

O campo de trabalho não está restrito à criação de bovinos ou à produção de carne e leite. Ele atua também na produção de todo tipo de alimento de origem animal, através da criação de coelhos, peixes, abelhas, aves, suínos e outras espécies diversificadas de animais.

Poucos sabem também que o zootecnista é um profissional que atua ao lado do consumidor. Por exemplo, ele está preparado para detectar, no supermercado, o grau de insatisfação da dona-de-casa quanto ao sabor, à coloração, à maciez e ao teor de gordura da carne bovina, e transmitir aos produtores a necessidade de mudanças no sistema de produção.

Atualmente no Brasil, existem cerca de 7,2 mil zootecnistas, e mais de cinco mil empresas que atuam no segmento de produção de animais domésticos. Em 2002, o país comportava 54 cursos de zootecnia em praticamente todas as regiões, com maior concentração no Sudeste e no Centro-Oeste, segundo a Comissão Nacional de Ensino de Zootecnia(CNEZ).

Bem-estar animal. Outro objetivo do Zootec/2003 será o de apresentar técnicas de produção de alimentos em um ambiente que proporcione o bem-estar animal. “Em todo o mundo existe uma forte preocupação para a difusão de sistemas de produção dignos e sustentáveis, que incluem a construção de currais, bebedouros e outras instalações nas fazendas, os meios de transporte e até os sistemas de abate”, enfatiza o presidente do congresso, professor Alexandre Bizonoto.

O congresso vai apresentar quatro painéis com temas abordados por conferencistas reconhecidos área de produção animal no Brasil. Dois conferencistas foram convidados do exterior. Os painéis vão discorrer sobre assuntos relacionados ao mercado consumidor, ao bem-estar animal, à gestão ambiental na fazenda e à produção de pequenos e médios animais.

Durante o evento, será promovida a Reunião Nacional de Ensino, que terá como tema “Realidade e tendências para os cursos de zootecnia”, sob a coordenação da Comissão Nacional de Ensino de Zootecnia(CNEZ).

O público esperado, de 1,5 mil participantes, será formado por estudantes, produtores e profissionais. Marcado para o período de 11 a 13 de maio em Uberaba(MG), o Zootec/2003 será realizado no Centro de Eventos ABCZ.

O evento será precedido por um pré-congresso, que vai oferecer cursos sobre manejo de pastagem, julgamento de raças zebuínas e da raça girolanda, nutrição de ruminantes e reprodução de bovinos, no período de 7 a 10 de maio, durante a 69ª Exposição Internacional de Gado Zebu(ExpoZebu 2003), que acontece no Parque Fernando Costa, em Uberaba.

Outras informações podem ser obtidas no site oficial do congresso (www.fazu.br/zootec2003) ou pelo telefone 0800 343033.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink