Conheça o potencial do inajá para óleo
CI
Imagem: Paulo André Rodrigues da Silva
PALMEIRA

Conheça o potencial do inajá para óleo

Ela produz uma amêndoa que pode ter grande potencial
Por: -Eliza Maliszewski

O inajá (Attalea maripa (Aubl.) Mart)  também conhecida como anaiá, anajá, aritá, inajazeiro, maripá e najá, é uma palmeira nativa da região norte do Brasil. Ocorre também nos estados do Acre, Maranhão, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima. Ela produz uma amêndoa que pode ter grande potencial para produção, inclusive em escala comercial, de óleo.

O inajazeiro já apresenta valor econômico, ecológico e ornamental na região amazônica, devido ao aproveitamento integral e surge como alternativa para produção de energia limpa e acessível para as comunidades isoladas na Amazônia, além de gerar renda para os agricultores familiares.

Uma pesquisa desenvolvida na Embrapa Amapá abre mais caminho para o aproveitamento. Por meio de análises foi constatado que a colheita dos frutos pode ser feita até 30 dias antes da queda natural que mesmo assim assegura o mesmo potencial produtivo de óleo. A quantidade chega a 46,3%, ou seja, muito próximo aos 50,9% observados nos frutos coletados após a queda do cacho. E mais: a colheita antecipada pode melhorar a qualidade do óleo.

A descoberta abre caminho para a domesticação da palmeira e produção de óleo pelas indústrias de cosméticos, saboarias, combustíveis e alimentícias, além de os frutos in natura poderem servir para alimentação humana e animal. Outra possibilidade é a produção de biocombustível.

A produção de frutos é bastante variada, apresentando, em média, de 1.500 a 2 mil frutos por cacho, mas podendo alcançar mais de 5 mil frutos. Abundante e renovável, com ampla dispersão e pouco exigente quanto à fertilidade dos solos e água, pode contribuir para a economia regional com aproveitamento racional e sustentável dos recursos naturais.

A pesquisa “Potencial do pinhão-manso e de palmeiras para a diversificação de matéria-prima na produção de biodiesel” pode ser conferida na íntegra aqui. E a "Potencial oleífero e ponto de colheita de inajá em área de ocorrência natural no Amapá", pode ser vista aqui.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink