Contra a 'morte súbita', sementes importadas
CI
Agronegócio

Contra a 'morte súbita', sementes importadas

Por:

As primeiras sementes importadas oficialmente de porta-enxertos para mudas de laranjas começam a ser plantadas nesta semana. Foram compradas de produtores da Flórida (EUA) 800 mil sementes da variedade citrumelo, cerca de 200 mil de citrus volkameriana, e os gastos foram de US$ 50 mil. A importação das sementes das duas variedades, autorizada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) em 7 de março, ocorreu em virtude da ausência desses tipos de porta-enxertos no mercado nacional, praticamente dominado pelo limão-cravo.

O limão-cravo, utilizado em 80% do parque citrícola comercial brasileiro, é a única variedade suscetível à morte súbita dos citros. Apesar de terem o certificado emitido pela Organização Nacional de Proteção Fitossanitária dos EUA de que não contêm doenças, amostras das sementes tiveram de ser analisadas pelo Laboratório de Patologia de Sementes, em São Paulo, antes de serem liberadas. De 1 milhão de sementes importadas, cerca de 700 mil devem germinar, ser transformadas em mudas por meio do enxerto e, em um ano, estar prontas para ser comercializadas.

Mudas mais resistentes - A opção pela importação de 80% de sementes da variedade citrumelo ocorreu pelo fato de que mudas enxertadas nessa variedade são mais produtivas e resistentes às estiagens, apesar de serem necessariamente irrigadas. Um novo lote de sementes, vindo da Califórnia (EUA), deve chegar ao País em um mês.

Novos focos - O Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) informou, dia 23 de maio, a identificação de dois novos focos de morte súbita dos citros nos municípios mineiros de Conceição das Alagoas e Fronteira. Com isso o número de cidades com registro da doença vai de 8 para 10 em Minas Gerais e chega a 15 com os casos registrados em 7 municípios paulistas. O foco de Conceição das Alagoas foi detectado por técnicos do Fundecitrus e o de Fronteira por inspetores do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). Segundo o fundo, a doença já atinge lavouras em uma área de 177 quilômetros (de norte a sul) e 156 quilômetros de leste e oeste entre os Estados de Minas Gerais e São Paulo.

Está marcada para o dia 28 de junho, em Bebedouro (SP), uma reunião entre o governo federal, estadual e representantes dos citricultores para avaliar a campanha de combate à morte súbita dos citros. Apesar de a doença estar restrita ao norte do Estado de São Paulo e a parte de Minas Gerais, o governo está preocupado com a velocidade com que a morte súbita ataca os pomares.

(Colaborou Fabíola Salvador/AE)


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.