Cotações do milho recuaram
CI
Milho

Cotações do milho recuaram

Mercado do milho nos EUA está ligado diretamente ao comportamento climático neste momento
Por:

As cotações do milho em Chicago recuaram um pouco durante esta semana mais curta (feriado nos EUA no dia 28 e feriado no Brasil no dia 31/05), com o bushel fechando a quinta-feira (31) em US$ 3,94, contra US$ 4,04 uma semana antes.

O mercado do milho nos EUA está ligado diretamente ao comportamento climático neste momento. Afinal, o plantio se aproxima do fim e os próximos 45 dias se tornam críticos para o desenvolvimento do cereal nas lavouras locais, pois marca o momento da floração e polinização das plantas. Ao mesmo tempo, o clima na safrinha brasileira igualmente vem pesando sobre o mercado, diante da quebra consistente que começa a surgir nas lavouras locais.

Quanto ao plantio nos EUA, até o dia 27/05 o mesmo atingia a 92% da área semeada, ficando um pouco acima da média histórica para a época, que é de 90%. Quanto às condições das lavouras plantadas, até a mesma data 79% estavam entre boas a excelentes, 18% regulares e 3% entre ruins a muito ruins.

Por sua vez, as exportações líquidas de milho pelos EUA atingiram a 854.300 toneladas na semana encerrada em 17/05, ficando 3% acima da média das quatro semanas anteriores. Já as inspeções de exportação somaram 1,7 milhão de toneladas na semana encerrada em 24/05, acumulando um total de 38 milhões de toneladas no atual ano comercial 2017/18, cujo encerramento se dará em 31/08, contra 43,1 milhões no mesmo período do ano anterior.

Na Argentina e no Paraguai a tonelada FOB de milho fechou a semana na média de US$ 187,00 e US$ 185,00 respectivamente.

Aqui no Brasil, os preços do milho se mantiveram firmes, porém, com o mercado fortemente atingido pela greve dos caminhoneiros. A média gaúcha no balcão fechou a semana em R$ 35,55/saco, enquanto os lotes ficaram em R$ 42,50/saco no Noroeste do RS. Nas demais praças nacionais os lotes oscilaram entre R$ 24,00/saco em Sorriso (MT) e R$ 43,00/saco em Videira (SC). Na Sorocabana paulista o saco superou os R$ 43,00, enquanto o referencial Campinas ficou entre R$ 46,00 e R$ 47,00/saco no CIF disponível. No porto de Santos os preços avançaram para R$ 41,00 e R$ 41,50/saco, igualmente puxados pela nova desvalorização do Real na semana.

O mercado nacional do milho esteve pressionado pela falta de transporte, a qual motivou perdas importantes no setor suinícola e avícola. Tais perdas passam a ser calculadas em bilhões de reais, com o setor industrial das carnes prevendo vários meses para recuperar a cadência de trabalho a partir do término da greve dos caminhoneiros.
A retomada do transporte deverá levar a uma corrida ao milho, pois as empresas necessitam refazer estoques. Este fato poderá elevar ainda mais os preços do cereal nas próximas semanas.

Ao atual cenário deve-se somar às perdas com a safrinha, as quais ainda podem aumentar apesar das chuvas ocorridas em algumas regiões de produção.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink