Cresce o número de abate bovino inspecionado em Minas Gerais
CI
Agronegócio

Cresce o número de abate bovino inspecionado em Minas Gerais

Número cresceu 33% no Estado
Por:
O número de animais abatidos com inspeção sanitária (municipal, estadual ou federal) cresceu 33% em Minas Gerais, entre 2004 e 2010. No mesmo período, o país registrou crescimento de 13% no volume de abates. O levantamento foi feito pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Segundo o secretário de Agricultura, Elmiro Nascimento, o crescimento é resultado de investimentos privados na reativação de plantas frigoríficas que se encontravam paralisadas. “O quadro atual é o resultado concreto das ações implementadas pelo programa Minascarne”, afirma.

Lançado em 2004, numa ação conjunta das Secretarias de Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Fazenda, o programa tem por objetivos aumentar a competitividade dos estabelecimentos mineiros de abate, melhorar a qualidade da carne produzida e comercializada e ampliar as exportações mineiras.


De acordo com a análise do secretário, até há pouco tempo, Minas Gerais era um grande exportador de animais “em pé” para outros Estados, principalmente para São Paulo. O abate de animais fora de suas fronteiras gerava prejuízos para o Estado, que perdia em arrecadação de impostos e deixava de gerar emprego e renda, entre outros benefícios. “Desde a implantação do programa, a taxa média anual de crescimento do número de abates inspecionados é de 2,2%, quase o dobro do percentual registrado nacionalmente, que se manteve em 1,2% ao ano”, explica.

Crescimento das exportações

O Estado também ampliou sua participação tanto no valor quanto no volume exportado pelo país. Em 2004, Minas respondia por 1,86% do valor exportado, totalizando US$ 46 milhões. No ano passado, as exportações mineiras representaram 6,72% do valor total comercializado para outros países, somando US$ 307 milhões. Em relação ao volume exportado pelo país, a participação do percentual do Estado passou de 1,87% em 2004 para 6,5% em 2010.


Segundo o secretário da Agricultura, esse crescimento das exportações não registrou aumento ainda maior porque houve aquecimento da demanda interna. No período de 2004 a 2010, o consumo per capita de carne bovina no país passou de 37,1 kg para 37,4 kg. “Neste período, a população registrou crescimento expressivo de 10,7 milhões de habitantes. Além de ter havido crescimento no consumo por habitante, a população cresceu consideravelmente, e a produção conseguiu atender a demanda”, ressalta o secretário.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.