Cultura de cobertura traz economia de custos

ALTERNATIVA

Cultura de cobertura traz economia de custos

Os agricultores geralmente plantam culturas de cobertura no outono e as matam na primavera
Por: -Leonardo Gottems
980 acessos

Os cientistas do Serviço de Pesquisa Agrícola (ARS) descobriram uma estratégia de economia de custos para os produtores de algodão no Alabama que usam plantas de cobertura. As culturas de cobertura estão ganhando popularidade porque suprimem as ervas daninhas e ajudam o solo a reter umidade e nutrientes. 

Os agricultores geralmente plantam culturas de cobertura no outono e as matam na primavera achatando-as com um rolo, pulverizando-as com herbicidas, ou ambas. Depois de matar a cultura de cobertura, os cultivadores plantam uma "cultura comercial" (isto é, cultivada apenas para fins lucrativos) no mesmo campo. 

Os produtores de algodão do Alabama costumam usar o centeio como uma cobertura, matando-o quando começa a produzir sementes. Então, os agricultores esperam, às vezes até 3 semanas, antes de plantar o algodão. Isso dá tempo ao centeio para morrer, para que ele não concorra com o algodão por umidade e nutrientes do solo. Mas também significa duas etapas de um trator: uma para matar o centeio e outra para plantar o algodão. 

O engenheiro agrônomo da ARS, Ted Kornecki, queria ver se os agricultores poderiam economizar em custos de mão-de-obra e combustível, fazendo apenas uma passagem de um trator equipado com um rolo, uma semeadora e um pulverizador de herbicida. "Pode ser uma estratégia que vale a pena considerar, agora ou no futuro, dados os custos crescentes de combustível e mão-de-obra", diz Kornecki, do Laboratório Nacional de Dinâmica do Solo da ARS, em Auburn, Alabama. 

Em seus estudos, Kornecki e seus colegas plantaram uma cobertura de centeio no outono e o mataram na primavera. Em seguida, plantaram algodão com o método de duas passagens ou o novo método de uma passagem. Durante 3 anos, eles compararam o número, vigor e produtividade de sementes de algodão de plantas de algodão. Eles também calcularam os custos de combustível e mão de obra do trator para cada passagem de um trator. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink