Curso promovido pela Aprosmat qualifica analistas de sementes de algodão e soja

Agricultura

Curso promovido pela Aprosmat qualifica analistas de sementes de algodão e soja

Curso teve a participação de 32 pessoas entre técnicos da própria Aprosmat e empresas associadas
Por:
91 acessos

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) realizou entre os dias 11 e 13 de fevereiro o III Curso de Avaliação da Qualidade Fisiológica de Sementes de Algodão e Noções de Tetrazólio em Soja. A capacitação foi ministrada pelos professores Dr.ª Maria Laene Carvalho (UFLA/MG) e Dr.º João Almir Oliveira (UFLA/MG). O curso teve a participação de 32 pessoas entre técnicos da própria Aprosmat e empresas associadas.

Segundo a pesquisadora, Dr.ª Maria Laene Carvalho, esses testes auxiliam no controle de qualidade dessas sementes para que o produtor receba um material de alta qualidade. “O profissional que passa por esse curso fica capacitado para realizar análises de tretazólio em algodão e soja, no caso do algodão a demanda está aumentando no estado e os analistas podem cumprir com facilidade essa missão de desenvolver esses testes”, explicou a doutora.  

De acordo com professor doutor da Universidade Federal de Lavras, João Almir de Oliveira, o teste de tetrazólio além de mostrar que a semente está viva ou morta, ele pode avaliar a qualidade durante o período de armazenamento, isso favorece o manejo. “Inclusive pode orientar quais medidas que podem ajudar o produtor de sementes a melhorar a qualidade das mesmas”, afirmou o professor.

Para a responsável técnica da empresa Sementes Tropical, Rubiana Rossi, o curso foi esclarecedor e ministrado por grandes profissionais. “É um desafio produzir sementes de qualidade em Mato Grosso. Os professores deram uma boa revisada nos problemas de tretazolios de soja e na questão da semente do algodão também foi algo fantástico, concentrando em quais os cuidados que nós devemos ter da área de sementeiros na hora de escalar os testes, quais as fragilidades de cada semente em relação a temperatura, umidade e o que fazer e o que não fazer e por fim a melhor forma de estar interpretando isso de acordo com o momento, se é em uma recepção, se é na hora de um embarque”, explicou.

“A preocupação maior da Aprosmat é com a qualidade das sementes. Esses cursos que nós promovemos são justamente para isso, para qualificar os nossos analistas tantos os que trabalham nos laboratórios da Aprosmat, quanto dos produtores de sementes que trabalham nos laboratórios das fazendas”, ressaltou a diretora executiva da Aprosmat, Andreia Bernabé.
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink