Descobertos efeitos da radiação crônica em plantas

ESTUDO

Descobertos efeitos da radiação crônica em plantas

"O pinheiro comum foi selecionado como objeto de estudo
Por: -Leonardo Gottems
98 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

A exposição crônica à radiação altera o desenvolvimento e a estrutura genética das plantas, embora não afete sua capacidade reprodutiva. Esta foi a conclusão alcançada pela equipe de pesquisa do Instituto de Energia Nuclear de Obninsk, na Rússia, e do Instituto Russo de Radiologia e Agroecologia (IRRA). 

No entanto, os resultados do estudo sugerem que "apesar dos numerosos estudos realizados em áreas contaminadas, as consequências tardias da exposição crônica à radiação para populações de plantas e animais continuam a ser objeto de controvérsia na comunidade científica". 

Nesse cenário, o pinheiro comum foi selecionado como objeto de estudo, pois essa árvore da antiga família da gimnosperma apresenta a mesma alta sensibilidade à radiação ionizante que o homem. Assim, foi descoberto que maioria das coníferas é muito sensível à radiação e altas doses podem causar a morte em massa. 

Quatro áreas foram selecionadas para o estudo nas áreas mais contaminadas da província russa de Bryansk, a cerca de 200 km de Chernobyl. Durante todo o período do estudo, a frequência de células com aberrações cromossômicas nos descendentes das árvores (mudas) das áreas contaminadas por radionuclídeos excedeu notavelmente os níveis normais.  

De acordo com os pesquisadores, mesmo após os graves acidentes radioativos de Chernobyl e Kishtim, os efeitos letais fossem observados em áreas restritas. Os níveis de poluição em áreas muito maiores não produzem efeitos letais e dão aos cientistas a oportunidade única de estudar o impacto da radiação na natureza viva.  

Alla Udalova, professor do Departamento de Física Nuclear e do Instituto de Tecnologia de Energia Nuclear na Obninsk e um dos autores da publicação, disse que “este resultado corrobora a hipótese de mudanças periódicas de parâmetros biológicos em populações por razões naturais, o qual é uma forma de manter o equilíbrio dinâmico em sistemas vivos, um dos exemplos mais conhecidos de tais oscilações são as flutuações da população em número de predadores e presas”, comenta.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink