Dia de campo debate pecuária familiar em Cacequi

Dia de campo

Dia de campo debate pecuária familiar em Cacequi

Evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar e contou com apoio da Embrapa Pecuária Sul e Prefeitura Municipal de Cacequi
Por:
94 acessos

O município de Cacequi (RS) sediou, nesta quarta-feira (18/04), o Dia de Campo Pecuária Familiar, que levou ao público informações importantes, desde a gestão da propriedade até a melhoria do desempenho produtivo do rebanho e o melhoramento do campo nativo. O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar e contou com apoio da Embrapa Pecuária Sul e Prefeitura Municipal de Cacequi. 

A programação teve início com a apresentação do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar aplicado na Propriedade, pela técnica agrícola da Emater/RS-Ascar, Mariane Vega. Na sequência, a médica veterinária da Emater/RS-Ascar Mônica Foldenauer apresentou resultados do programa PoloGen em Cacequi, e o médico veterinário da empresa Jorge Santos, Fabrício Pando, falou sobre as condições necessárias para melhorar o desempenho reprodutivo do rebanho. Fechando o evento, o técnico agrícola Victor Cassol e o assistente técnico regional Roblein Filho, ambos da Emater/RS-Ascar, falaram sobre melhoramento de campo nativo. 

“Esse Dia de Campo teve como objetivo debater a pecuária familiar, as dificuldades e as potencialidades, que são comuns aos produtores, considerando sempre as realidades de cada propriedade”, destacou Mônica. 

O gerente adjunto do regional de Santa Maria da Emater/RS-Ascar, Renato Cadó, destacou a importância dos projetos desenvolvidos dentro da propriedade, que estimulam que outros produtores conheçam resultados das tecnologias na prática. “Isso permite que outros produtores vejam e então possam levar conhecimentos para suas propriedades”, disse. 

PoloGen

O Polo de Excelência em Genética Taurina (PoloGen) está em seu quarto ano de atividades, com mais de três mil doses de sêmen doadas para pecuaristas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Fruto de parceria da Embrapa com a Emater/RS-Ascar, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/RS) e as associações de raças taurinas e sintéticas, o projeto tem se destacado como instrumento de melhoramento genético e de difusão de raças bovinas taurinas. Sediado em Bagé (RS), na Embrapa Pecuária Sul, o PoloGen leva genética qualificada para o produtor, com a doação de sêmen de touros avaliados como superiores pelos programas de melhoramento genético, possibilitando, assim, com a inseminação de vacas selecionadas na propriedade, a melhora dos rebanhos comerciais desses pecuaristas.

O analista da Embrapa Pecuária Sul, Marco Lucas, que representou a Unidade no Dia de Campo, falou sobre o projeto durante a abertura do evento. “É um projeto que tem como missão demonstrar que o melhoramento animal traz resultados econômicos significantes pelo aumento da produtividade e pela melhoria do padrão racial dos rebanhos, e que deve se constituir em um trabalho a ser realizado de forma permanente nas propriedades. Já está em mais de dez municípios e vem sendo construído no dia a dia com a parceria das diversas instituições e produtores”, destacou. 

Conforme o produtor que recebeu o Dia de Campo em sua propriedade e que integra o PoloGen, Neri da Rosa, o programa tem gerado bons resultados no seu rebanho, especialmente quanto à padronização e peso dos animais. “Estou há dois anos no PoloGen e noto muita diferença nos animais nascidos pelo projeto do que os de antes. Enquanto existir o projeto eu estou nele”, destaca. 

Também presente no evento, o produtor Dagoberto Dias, integrante do PoloGen, falou sobre os ganhos de lucro com o projeto. “Estou no projeto desde 2015 e venho notando o melhoramento genético e o aumento de peso dos terneiros produzidos pelo programa. Minha ideia é continuar no projeto, melhorando os lucros da propriedade, ter um gado mais padronizado, tirar um bom terneiro, que o mercado exige”, disse. 

A médica veterinária da Emater/RS-Ascar, Mônica Foldenauer, falou sobre a importância do projeto em Cacequi. “Estamos observando, a cada ano, a melhoria genética das progênies e o interesse dos produtores em continuar nesse programa. A gente vê que o programa traz uma padronização racial para os nossos rebanhos, tem refletido também no aumento de peso ao desmame dos terneiros, trazendo, então, mais renda ao produtor”, destacou. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink