Dia de Campo destaca inovações tecnológicas para cultivo da bananeira no Amapá

Banana

Dia de Campo destaca inovações tecnológicas para cultivo da bananeira no Amapá

Ação foi realizada pelo Sebrae e Embrapa, com apoio do Rurap e Prefeitura de Porto Grande
Por:
39 acessos

A ação foi realizada pelo Sebrae e Embrapa, com apoio do Rurap e Prefeitura de Porto Grande.

As etapas do cultivo da bananeira, desde o plantio e manejo, controle de pragas e os cuidados na pós-colheita do fruto, foram apresentadas durante duas edições do Dia de Campo “Inovações Tecnológicas na Bananicultura do Estado do Amapá”, realizadas nos dias 7 e 8 de dezembro, nas linhas H e C respectivamente da Colônia Agrícola do Matapi, localizada no município de Porto Grande (AP).

O objetivo foi indicar cultivares de bananeiras validadas para as condições do Estado do Amapá, compartilhando técnicas e promovendo a troca de experiências para motivar o público participante sobre a importância econômica, social e ambiental de tecnologias e práticas sustentáveis no cultivo da bananeira. “Os genótipos avaliados e indicados para o Estado do Amapá são BRS Pacovan Ken, BRS Caprichosa, BRS Garantida, BRS Vitória e Galil 18”, destacou o coordenador técnico do evento, Jackson de Araújo dos Santos, engenheiro agrônomo da Embrapa.

Promovido pelo Sebrae e Embrapa, com apoio da Prefeitura de Porto Grande e do Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Amapá (Rurap), o Dia de Campo reuniu extensionistas e agricultores de base familiar daquela região, sobretudo os que cultivam ou têm interesse em aprimorar o cultivo da banana com padrão para fins comerciais. Também participaram, alunos do IFAP campus Porto Grande, a gerente da Unidade de Agronegócio e Indústria do Sebrae Amapá, Larissa Queiroz, o chefe-geral interino da Embrapa Amapá, Nagib Melém, e o diretor-presidente do Rurap, Osvaldo Hélio Dantas.

“Quero agradecer à coletividade do grupo pelo empenho e dedicação nas realizações dos dias de campo, que ocorreram na Colônia Agrícola do Matapi. Ficou o aprendizado que parcerias interinstitucionais facilitam as realizações e aumentam a capilaridade e alcance de nossas ações. Assim agradecemos as equipes das instituições e aos produtores”, afirmou Jackson de Araújo dos Santos, analista de transferência de tecnologias da Embrapa. Ele enfatizou a participação das agricultoras Raimunda Santos de Araújo, da linha H, e Maria Luzinete Lauret, da linha C, que atuaram na organização e mobilização local.  

Estações: Manejo, controle de pragas e pós-colheita

A programação foi composta de três estações. Em uma delas, intitulada “Implantação e Manejo da Cultura da Banana”, o engenheiro agrônomo e analista de transferência de tecnologias da Embrapa Amapá, Jackson de Araújo dos Santos, apresentou os procedimentos de manejo para o cultivo bem-sucedido da bananeira, desde a limpeza da área, seleção de mudas sadias, preparo do solo, adubação e tratos culturais, e informar as cultivares indicadas para o estado do Amapá. A estação “Identificação e Controle de Pragas da Bananeira”, incluindo dicas de como as pragas devem ser combatidas, foi conduzida pelo engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Amapá, Adilson Lopes Lima. E na estação “Pós-colheita da Banana” atuou como responsável o engenheiro agrônomo e extensionista do Rurap, Blenio Brito Bernardes.

A bananicultura é uma atividade que exige inovação tecnológica para otimização de recursos, manejo fitotécnico adequado, capilaridade social ampla e viabilidade econômica. O estudo de genótipos de bananeira em diversas regiões é de fundamental importância para indicar os materiais genéticos mais recomendados para determinadas condições edafoclimáticas, assim como a resistência às pragas e amplo desempenho agronômico. "O clima do Amapá é favorável ao cultivo da banana, o solo pode ser corrigido no aspecto químico. Porém, o estado importa banana de outros estados, quando pode aumentar sua própria produção a partir da aplicação de tecnologias adequadas e utilização de variedades resistentes a doenças", observou o agrônomo Jackson de Araújo dos Santos, da Embrapa Amapá.

Projeto AgroAmapá

Este Dia de Campo é uma ação do Projeto AgroAmapá (Fortalecimento da Produção Agrícola no Amapá Por Meio da Transferência de Tecnologia), implementado em parceria entre o Sebrae e a Embrapa, conforme acordo de cooperação entre as duas instituições. O projeto é destinado a agricultores de base familiar e extensionistas que atuam no cultivo de hortaliças, fruticultura e mandioca, nos municípios de Macapá, Santana, Mazagão, Cutias do Araguari, Itaubal, Porto Grande, Pedra Branca e Serra do Navio (AP), oportunizando capacitações nos anos de 2017 e 2018.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink