Diferentes métodos para conservação do solo

Agronegócio

Diferentes métodos para conservação do solo

O Plantio Direto na Palha, a Integração Lavoura-Pecuária e a calagem são importantes práticas de preservação do solo
Por: -Janice Gutjahr
5922 acessos
O preparo excessivo, associado à cobertura deficiente do solo, as chuvas intensas e o uso de áreas inaptas para culturas, constitui o principal fator desencadeador dos processos de degradação dos solos. No Dia da Conservação do Solo, cabe aprofundar os debates a cerca da importância do mesmo no desenvolvimento da produção agropecuária.

Para se ter produção sustentável, algumas práticas e tecnologias podem ser utilizadas como o sistema de Plantio Direto, a Integração Lavoura-Pecuária e a prática da calagem, que utiliza a aplicação de calcário a fim de corrigir a acidez do solo. A redução da intensidade de preparo do terreno, máxima cobertura de solo, cultivo de culturas em áreas aptas e emprego de semeadura em contorno, associadas ao conjunto de práticas conservacionistas orientadas à prevenção da erosão hídrica, também são importantes.

Um dos métodos mais usados é o Plantio Direto, implantado há mais de 30 anos. De acordo com o gerente técnico da Cooperativa dos Agricultores de Plantio Direto (Cooplantio), Dirceu Gassen, entre as razões para o uso da prática está “a filosofia atual de produção agropecuária, que preconiza reduzir os custos de produção, melhorar a produtividade e a qualidade e, ao mesmo tempo, preservar e recuperar os recursos naturais”. De acordo com o Ministério da Agricultura, mais de 50% da área brasileira cultivada com grãos já utiliza a prática.

Outra prática que tem sido muito difundida nos últimos anos é a Integração Lavoura-Pecuária. Segundo Ministério da Agricultura, o sistema otimiza o uso do solo, com aumento da produção de grãos em áreas usualmente cultivadas com pastagens, e aumenta a produtividade das pastagens em decorrência da sua renovação ou aproveitamento da adubação residual da lavoura de grãos. Aliada a práticas conservacionistas, se constitui em uma alternativa econômica e sustentável para recuperar áreas degradadas, como pastagens com baixa produção de forragens e lavouras com problemas de produtividade.

Para o pesquisador e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Mauro de Rezende Lopes, a ILP é o futuro do agronegócio brasileiro, sustentada pelo uso da tecnologia como forma de sustentabilidade ambiental e econômica. “Quando se produz com o auxílio de tecnologia biológica, utilizando sementes de qualidade e fertilizantes, o produtor diminui a área plantada e aumenta sua produção, preservando novos espaços com maior rendimento”.

Pode se apontar ainda como uma das tecnologias no auxílio da preservação do solo, o sistema de calagem. Trata-se do uso do calcáreo como corretivo e conservador do solo, na medida em que corrige e estabiliza o PH do terreno. Segundo o diretor executivo da Associação Nacional para a Difusão de Adubos (Anda), Eduardo Daher, na primeira década do século XXI, o uso de fertilizantes diminuiu, frente a intensificação do uso do calcáreo, muito em função do elevado custo desses. No Dia da Conservação do Solo a ANDA sugere que se reponham os nutrientes ao solo, sem desperdiçá-los. "Façam sempre analise de solo e análise foliar antes de definir sua adubação e seus custos. Potencialize sempre o uso de seus insumos”, adverte Daher.

O Dia da Conservação do Solo, comemorado no dia 15 de abril, marca o nascimento do cientista americano Hugh Hammond Bennet, considerado o pai da conservação do solo. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), instituiu a data em 13 de novembro de 1989, por meio da Lei 7.876.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink