Emater/RS-Ascar inicia projeto para recuperação de área do Ibirapuitã
CI
Imagem: Pixabay
PROJETO

Emater/RS-Ascar inicia projeto para recuperação de área do Ibirapuitã

Emater/RS deu-se início ao projeto de restauração ecológica na Área de Preservação Ambiental (APA) do Ibirapuitã
Por:

Como resultado do esforço conjunto entre Gerência de Captação de Recursos, Gerencia Técnica e Escritório Regional de Bagé, a Emater/RS deu-se início, na última terça-feira (01/11), ao projeto de restauração ecológica na Área de Preservação Ambiental (APA) do Ibirapuitã após assinatura do Termo de Cooperação Técnica. A proposta conjunta com a Universidade La Salle (Unilasalle) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), visa a integração social e científica para a conservação e sustentabilidade do bioma pampa.

O projeto procura elaborar e implementar um plano de restauração ecológico que conserve a biodiversidade local e desenvolva a economia sustentável em uma área de 1,7 mil hectares na APA do Ibirapuitã destinado a pecuaristas familiares dos municípios de Alegrete, Rosário do Sul, Quaraí e Santana do Livramento. A ação totaliza um recurso de R$ 3,1 milhões.

Segundo o Gerente de Planejamento Adjunto de Captação de Recursos e Projetos, Guilherme Godoy dos Santos, o recurso possibilitará diversas ações de recuperação e potencialização do campo nativo no Bioma Pampa ampliando a sustentabilidade produtiva, econômica e ambiental deste bioma.

Apresentado em reunião na última quarta-feira (02/11) entre os munícipios participantes, as ações se baseiam na linha de controle do capim-annoni e no manejo correto deste recurso natural. Ao total, serão desenvolvidas atividades pela Instituição em 1,7 mil hectares, divididos em 20 unidades para a coleta de dados e informações. Dentre elas estão a realização de 20 projetos técnicos, reuniões interinstitucionais, visitas técnicas, diagnósticos socioambientais e produtivos, coleta e análise de solo e eventos coletivos.

Segundo o extensionista rural, Fábio Schlik, o projeto possibilita aos produtores, técnicos e estudantes da área a capacitação constante em manejo e utilização das pastagens, o que é importante para o Bioma Pampa, pois permite ao pecuarista produzir em harmonia com o ambiente, trazendo um ganho econômico imediato para a região. Queremos levar alternativas de manejo para melhorar a produção, utilizando de forma adequada o recurso natural de campo e conservando o bioma, explica.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink