Embrapa apresenta no PAD/DF cultivar de trigo de sequeiro
CI
Imagem: Pixabay
AGRICULTURA

Embrapa apresenta no PAD/DF cultivar de trigo de sequeiro

A cultivar BRS 404 foi apresentada pela Embrapa a cerca de 80 produtores, técnicos e consultores rurais
Por:

Considerada uma das melhores alternativas para cultivo de trigo de sequeiro no Cerrado, a cultivar BRS 404 foi apresentada pela Embrapa a cerca de 80 produtores, técnicos e consultores rurais nesta terça-feira (05) na fazenda Capão Seco, região do PAD/DF. O evento “Visitação Ensaio Trigo Safrinha 2022” foi promovido pela Coopa-DF (Cooperativa Agropecuária do DF) com o objetivo de apresentar as opções de cultivares de trigo sequeiro desenvolvidas para a região. Participaram três empresas, sendo uma delas a Embrapa.

“O evento também buscou mostrar a importância do trigo no sistema de produção já que permite aos produtores fazer melhor controle de plantas daninhas, pragas e nematoides, além de contribuir com a produção de palhada. Por consequência, o trigo acaba sendo também muito importante para a manutenção das altas produtividades da soja, do feijão e do milho que o sucedem”, afirmou Claudio Malinski, engenheiro agrônomo da Coopa-DF.

A apresentação técnica da Embrapa foi feita pelo pesquisador Jorge Chagas, que apresentou informações relacionadas à cultivar BRS 404, lançada em 2015 para a região do cerrado do Brasil Central (Minas Gerais, Goiás e DF). “Essa cultivar tem como destaque o ciclo precoce e a tolerância à seca e ao calor, além de ter um grão de excelente qualidade tecnológica, sendo classificado como trigo pão”, afirmou. Além das caracterísitcas da cultivar, o pesquisador também apresentou o manejo agronômico desenvolvido para ela. Foi indicada a melhor época de semeadura para a região, a densidade ideal e o manejo da adubação, com destaque para a adubação nitrogenada.

O pesquisador Jorge Chagas também enfatizou os benefícios para o sistema de produção do cultivo do trigo safrinha após o cultivo da soja. “Essa sucessão de culturas ajuda no controle de plantas daninhas por meio da rotação de princípios ativos de herbicidas, controle de plantas 'tigueras RR’ e na supressão pelo cultivo e pela palhada. Também ajuda a quebrar o ciclo de pragas e doenças, principalmente de fungos de solo”, explicou o especialista.

Segundo ele, a inserção do trigo no sistema também abre oportunidade para o cultivo de sojas de ciclos médios e tardios, já que esta cultivar é indicada para o cultivo na segunda quinzena de março nessa região. “Sojas de ciclos médios e tardios tendem a ser mais produtivas do que as sojas de ciclos precoce e super precoce. Assim, o produtor pode ganhar na soja e, depois, no trigo, conseguindo boa rentabilidade, mesmo em anos secos como este”, afirmou. De acordo com o pesquisador, a cultivar BRS 404 entra como mais uma ferramenta disponível ao produtor, trazendo vários benefícios ao sistema soja/trigo na região, e é uma boa oportunidade para a diversificação dos cultivos, reduzindo riscos.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.