Embrapa avalia resistência de cultivares de mandioca ao ácaro-verde em SE
CI
Agronegócio

Embrapa avalia resistência de cultivares de mandioca ao ácaro-verde em SE

Praga ataca as brotações, gemas e folhas novas da planta
Por:
Adenir V. Teodoro¹, Hélio Wilson L. de Carvalho,
Rony M. Guimarães², Ivênio R. de Oliveira³,
Marco A.S. Rangel4, Vanderlei S. Santos4

O cultivo da mandioca brava (mandioca) ou mansa (macaxeira ou aipim) é uma importante fonte de renda e está relacionado à segurança alimentar de agricultores familiares do estado de Sergipe.

A área plantada com mandioca (mansa e brava) no Brasil segundo o IBGE é de 1.796.966 ha com uma produtividade aproximada de 14 toneladas por hectare.

A região Nordeste responde por quase 50% da área plantada de mandioca (819.069 ha) com produtividade de cerca de 10 toneladas por hectare. O estado de Sergipe possui pouco mais de 33.000 hectares de mandioca e uma produtividade de aproximadamente 15 toneladas por hectare. No entanto, a produtividade ainda é considerada muito baixa devido a diversos fatores, dentre os quais o ataque de pragas.

A principal praga da mandioca no estado de Sergipe, e na maioria das regiões produtoras, é o ácaro-verde Mononychellus tanajoa (Acari: Tetranychidae). O ácaro-verde ataca as brotações, gemas e folhas novas da planta causando retardamento de desenvolvimento, queda e deformação de folhas além de encurtamento de entrenós e morte do ápice dos ramos, principalmente na época seca do ano, resultando em reduções drásticas de produtividade.

Por ser uma cultura relacionada à agricultura familiar, a maioria dos produtores de mandioca de Sergipe não fazem uso de qualquer medida de controle de pragas. Adicionalmente, embora inúmeras cultivares de mandioca estejam sendo pesquisadas no estado de Sergipe, não existem estudos sobre sua susceptibilidade a pragas.
Daí a importância de trabalhos de determinação da susceptibilidade de cultivares de mandioca à pragas como o ácaro-verde, pois diferentes cultivares podem possuir susceptibilidade diferenciada a esta praga.

A Embrapa Tabuleiros Costeiros, em colaboração com pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura, está realizando pesquisa para a determinação do grau de resistência de cultivares de mandioca ao ácaro-verde. Os estudos estão sendo realizados no Campo Experimental da Embrapa Tabuleiros Costeiros em Umbaúba-SE por meio da avaliação da população do ácaro-verde em cultivares de mandioca no campo bem como através de estudos complementares de laboratório.

Ao final da pesquisa, as informações sobre a resistência de cultivares de mandioca ao ácaro-verde serão repassadas aos agricultores.

1Adenir V. Teodoro, Hélio Wilson L. de Carvalhosão pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Aracaju, SE.
2Rony M. Guimarães é bolsista de Iniciação Científica PIBIC/FAPITEC/Embrapa Tabuleiros Costeiros, Aracaju, SE.
3Ivênio R. de Oliveira é pesquisador do Departamento de Transferência de Tecnologia, DTT/Embrapa, Brasília, DF.
4Marco A.S. Rangel e Vanderlei S. Santos são pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Cruz das Almas, BA.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.