Embrapa e governo dão novo passo para revitalizar coqueiro em Alagoas

Agronegócio

Embrapa e governo dão novo passo para revitalizar coqueiro em Alagoas

Alagoas tem 5,3 mil produtores de coco
Por: -Joana
432 acessos
Conhecer as principais dificuldades e gargalos do setor produtivo e buscar a articulação de parcerias para revitalizar a cultura do coqueiro em diversos municípios de Alagoas. Esse foi o objetivo do encontro que reuniu, na quinta-feira (24), chefes e pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju/SE), gestores do Governo do Estado de Alagoas, prefeituras municipais e cerca de 15 representantes dos produtores.

A reunião aconteceu no auditório do Espaço Cultura Mestre Francelino, em Piaçabuçu, no sul do Estado. Pela Embrapa, participaram o chefe-geral, Edson Diogo Tavares, a chefe de comunicação e negócios, Tereza de Oliveira, o pesquisador Humberto Fontes, especialista na cultura do coqueiro, e o supervisor de transferência de tecnologias, Fernando Curado.

O secretário de Estado Adjunto da Agricultura, José Marinho Júnior, abriu o encontro, ressaltando que a parceria com a Embrapa Tabuleiros Costeiros já acontece de fato. “Um termo de cooperação será firmado para oficializar as ações”, explicou. Em fevereiro, Marinho fez o convite à Embrapa para o encontro, atendendo ao apelo dos produtores.

“O Governo de Alagoas tem promovido a retomada das ações de assistência aos produtores. Estamos intensificando o diálogo e a cooperação, e sempre abertos a novas parcerias que possam trazer benefícios aos agricultores”, disse o secretário, reforçando a importância de diversificar as culturas para ter prosperidade o ano todo.

Reivindicações

Representantes das prefeituras e de produtores de diversos municípios do litoral sul de Alagoas, como Piaçabuçu, Feliz Deserto e Coruripe, além do presidente da Associação dos Produtores de Coco de Alagoas (Prococo), Eurico Uchoa, expressaram as principais dificuldades da cultura na região.

Os problemas apontados são os mesmos em todas as regiões. O que mais acomete a cultura de norte da sul do estado, segundo os produtores, são as pragas e doenças, a intermediação por atravessadores, que força os preços do coco para baixo e a falta de investimentos para mecanizar o manejo da cultura.

Para o presidente da Associação dos Produtores de Coco de Piaçabuçu, João Leite, a diminuição do nível de organização, das parcerias e da assistência técnica por parte do Estado contribuíram para o enfraquecimento da cultura.

Eurico Uchoa também defendeu o fortalecimento e a maior organização dos produtores para agregar valor ao coco. Ele sugeriu, inclusive, que o Governo do Estado estude a possibilidade de incluir a água e outros derivados alimentares do coco na merenda escolar da rede pública.

Segundo dados da Prococo, Alagoas tem 5,3 mil produtores de coco. Ainda de acordo com a associação, a área plantada no Estado caiu de 25 mil hectares para 12 mil nos últimos anos.

O secretário de Agricultura e Pesca de Piaçabuçu, Joaquim Eugênio, defendeu a criação de uma cooperativa para fortalecer os produtores e agregar valor aos produtos.

Pesquisa e Transferência

Edson Diogo reforçou o compromisso histórico que a Embrapa Tabuleiros Costeiros tem com a cultura do coqueiro no Nordeste e no Brasil. “Apesar de estarmos sediados em Sergipe, a nossa missão e área de atuação abrange todo o Nordeste. O desafio é grande e por isso as parcerias com as organizações estaduais de pesquisa e assistência são fundamentais. Nenhuma instituição consegue resolver os problemas sozinha”, frisou.

O chefe da Embrapa informou que as ações de pesquisa e transferência de tecnologias serão efetivadas com dias de campo, instalação de experimentos e unidades demonstrativas, capacitações e treinamentos, com foco principal nos agricultores familiares.

Na segunda parte da reunião, a equipe da Embrapa realizou uma dinâmica com os produtores para diagnosticar detalhadamente os problemas e dificuldades enfrentados. “As tecnologias serão transferidas aos produtores de acordo com a realidade local, a partir das demandas que estamos levantando aqui e nos encontros futuros. A ideia é desenvolver ações de curto, médio e longo prazo”, explicou a chefe de comunicação.

Agenda

O próximo encontro do grupo – produtores, técnicos, pesquisadores da Embrapa e representantes do governo do Estado e das prefeituras – será no dia 28 de abril, em Piaçabuçu, para uma oficina. Alguns deles já disponibilizaram áreas para que a Embrapa, caso precise, faça experimentos.
As informkações são da assessoria de imprensa da Embrapa Tabuleiros Costeiros.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink