Estudo sugere alternativa para agrotóxicos

BIOLÓGICOS

Estudo sugere alternativa para agrotóxicos

“A maior motivação foi aplicar uma metodologia capaz de favorecer a produção e o armazenamento de fungicidas microbiológicos"
Por: -Leonardo Gottems
396 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Um estudo realizado pela mestranda Alinne Brandão Braga, orientada pelo professor Eloízio Júlio Ribeiro, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), indico uma alternativa para a utilização de agrotóxicos. De acordo com ela, a utilização da microencapsulação do fungo Trichoderma asperellum, consegue prolongar a vida útil de fungicidas microbiológicos. 

Ainda segundo a especialista, o objetivo do trabalho foi estudar como esse fungo, que tem grandes propriedades de crescimento vegetal, poderia ser utilizado para resolver o principal problema dos fungicidas microbiológicos, que é sua baixa durabilidade nas prateleiras. Com a miroencapsulação, Alinne fornece uma barreira física para os conídios, que são esporos responsáveis pela reprodução de alguns fungos, e outros componentes do meio externo, como umidade, oxigênio e calor, que afetam a estabilidade do fungicida. 

“A maior motivação foi aplicar uma metodologia capaz de favorecer a produção e o armazenamento de fungicidas microbiológicos, uma vez que a população mundial está cada vez mais preocupada com o meio ambiente e com a pureza dos alimentos”, comenta a pesquisadora. 

Como conclusão, foi possível determinar a temperatura ideal do ar de secagem e concentração do agente protetor para produção das micropartículas. “Os resultados demonstraram que os conídios microencapsulados podem ser uma alternativa para alcançar maior vida de prateleira e estabilidade para os fungicidas, almejando assim obter metodologias para a agricultura sustentável”, conclui brandão.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink