Tecnologia

Etanol é utilizado na produção de combustível menos poluente

Brasil é reconhecido mundialmente pela utilização de biocombustível
Por: -ALINE OLIVEIRA
163 acessos

A frota nacional de veículos de passeio nacional registra mais de 70% com utilização de biocombustível sucroenergético,  o que colocou o Brasil em destaque mundial como plataforma de inovação inédita na história da indústria automobilística. 

Isso porque duas grandes montadoras iniciaram desde o ano passado, testes com veículos elétricos movido a célula de combustível alimentada por etanol. A primeira foi a Nissan e em outubro, a Toyota, que divulgou o projeto de fabricar um modelo híbrido que utilizará eletricidade gerada por motor à combustão abastecido com o biocombustível de cana.

A Informação foi divulgada pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) ressaltando a relevância para o país, por iniciar a produção  de combustíveis renováveis em um dos maiores mercados para a indústria automobilística mundial. 

Na avaliação do consultor de Emissões e Tecnologias da UNICA, Alfred Szwarc, a infraestrutura de produção e abastecimento local de etanol prova que o país está no caminho certo. "Essas tecnologias demonstram que nossa produção industrial está em  consonância com o objetivo geral das montadoras, que é fabricar automóveis com maior eficiência energética e menor emissão de gases de efeito estufa”, avalia.

O especialista detalha como o combustível fabricado nestas condições pode contribuir para resolver problemas-chaves que limitam a expansão comercial dos automóveis elétricos. “Com a possibilidade do etanol, uma fonte vegetal produzida em larga escala e que reduz em até 90% as emissões de CO2 em comparação com a gasolina, as montadoras percorrerão um caminho mais sustentável até a maturidade da eletrificação”, observa Szwarc.

TESTES COM MOTORES HÍBRIDOS

De acordo com informações da montadora Toyota, os primeiros testes com o novo híbrido a etanol deverão ocorrer, (ainda sem data definida), em protótipo do Prius, modelo híbrido a gasolina, já comercializado no Brasil.

 A concorrente Nissan quer lançar até 2020 um sistema de Célula de Combustível de Óxido Sólido (SOFC, em inglês) que utiliza a reação do oxigênio com o biocombustível (anidro ou com 55% de água) para gerar eletricidade nos veículos. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink