Fábrica misturadora de fertilizantes pode ser instalada na Paraíba


Agronegócio

Fábrica misturadora de fertilizantes pode ser instalada na Paraíba

Grupo faz estudo de viabilidade para escolher o melhor local
Por:
1253 acessos
Atualmente, a Paraíba deixa de recolher cerca de R$ 5 milhões referente a ICMS por não ter uma misturadora de fertilizantes no Estado. Os impostos oriundos da comercialização do produto ficam em Pernambuco, Rio Grande do Norte ou outros estados do Nordeste, porque ainda não existe na Paraíba uma indústria de fertilizantes. Além do recolhimento do imposto, os produtores paraibanos também compram insumos com valores 12% maiores nos estados vizinhos. Mas, essa realidade pode estar próxima de ser mudada graças ao esforço do Governo do Estado e de parceiros da iniciativa privada, a exemplo da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), que lutam para trazer uma empresa misturadora. Nesta quarta-feira (04), durante uma reunião na Secretaria de Planejamento estadual, foi dado mais um passo com esse objetivo.


Segundo o secretário de Planejamento da Paraíba, Gustavo Nogueira, o Governo está aberto para novos investimentos que contribuam para o desenvolvimento do Estado. “Nós estamos, inclusive investindo em infra-estrutura, com projetos a médio e longo prazo, e daremos apoio e incentivos a empresas que queiram investir no Estado e contribuir com o progresso da Paraíba”, afirmou o secretário, que estava acompanhado do secretário executivo de Agricultura, Rômulo Montenegro.

O supervisor de Mercado em PE, PB, RN e CE, Renato Oliveira, e o Gerente de Mercado Cana Nordeste, Rodrigo Grabalos, da Yara Brasil Fertilizantes, participaram da reunião e confirmaram que a empresa tem um projeto de crescimento no Brasil, para os próximos cinco anos que prevê, entre outros investimentos, a construção de uma nova fábrica no Nordeste. “O projeto da fábrica no Nordeste já está aprovado, nós precisamos apenas decidir onde ela será instalada. Para tanto, estamos fazendo um estudo de viabilidade para escolher o melhor local”, afirmou Rodrigo Grabalos. Ainda segundo ele, esse estudo tem basicamente três fases que passam pela definição do local da nova planta, a compra do terreno e, por fim, a construção da fábrica.


Segundo o secretário de Planejamento, a Paraíba está disposta a dar os diferenciais para que a fábrica seja instalada aqui. “Sugiro que façamos um protocolo de intenções para que a empresa exponha neste documento suas necessidades. No que depender do Governo do Estado, vamos fazer o possível para que esse projeto seja instalado aqui”, reafirmou Gustavo Nogueira.

O presidente da Asplan, Murilo Paraíso, e o diretor da Associação, Oscar Gouvêa, reforçaram a importância do Estado ter uma fábrica de fertilizantes. “Para quem faz agricultura na Paraíba a vinda de uma misturadora é fundamental, muito importante, pois além de trazer desenvolvimento e investimentos para o Estado, vai reduzir, sensivelmente, os custos na aquisição dos produtos”, reforçaram os dirigentes canavieiros, lembrando que com uma misturadora local, os produtores paraibanos podem adquirir adubos a preços mais acessíveis com um custo, pelo menos, 12% menor do que hoje é adquirido em outros estados da região. O vice-presidente da Asplan, Pedro Jorge, também participou da reunião que contou ainda com a participação de representantes da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (FAEPA), do Porto de Cabedelo e do Sindálcool.


De acordo com Rodrigo Grabalos, a Yara precisa de uma área de 5 a 7 hectares para instalar a nova fábrica do Nordeste, que tem uma projeção de produção de cerca de 200 mil toneladas/ano.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink