Falhas no sistema Sisbov não foram corrigidas
CI
Agronegócio

Falhas no sistema Sisbov não foram corrigidas

Animais ainda não estão podendo ser cadastrados na Base Nacional de Dados devido à problemas no sistema operacional
Por:

Depois de adiarem para 15 de janeiro o prazo para implantação do novo Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos (Sisbov), possibilitando que os pecuaristas fizessem cadastramento dos novos animais na Base Nacional de Dados pelas regras do Sisbov antigo, o sistema ainda apresenta problemas.

O gerente da Pantanal Certificadora, Bruno Gomes da Silva, afirmou que as únicas funcionalidades que estão no ar dizem respeito ao cadastro de propriedades e solicação dos códigos. E ainda assim, apresentam erro no processamento. No pedido dos brincos, no entanto, as certificadoras não têm conseguido inserir dados cadastrais dos animais no sistema.

Segundo Silva, a instrução normativa que entrou em vigor em julho estipulava 1º de dezembro como data limite para que o novo sistema fosse ao ar. No entanto, com a troca de equipe de técnicos de informática às vesperas da instalação completa do programa propiciou a demora na operacionalização. “Estamos trabalhando com instabilidade”, afirmou.

Silva disse que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) adiou por quatro vezes a regularizaçao do Sisbov. Depois da data prevista em 1º de dezembro, foi marcado para 15 de janeiro a instalação completa do programa. Não cumprindo o prazo, o Mapa instituiu dia 22 de janeiro como prazo certeiro.

No entanto, até a última segunda-feira (22-01) o Sisbov ainda não tinha sido lançado integralmente. Agora, representantes do Ministério indicam a próxima segunda-feira (29-01) como último prazo. O gerente da Pantanal Certificadora revelou que a demora na instalação do sistema acarreta na perda de abate de algumas cabeças de gado, uma vez que a carne tem que passar por uma período de 90 dias para ser exportada.

Aqueles que pretendiam abater esse mês para exportar em março já contam com os prejuízos. Os produtores que anteciparam o cadastramento em novembro saíram ilesos. No entanto, aqueles que aguardaram o novo sistema para registro amargam déficit. A Pantanal Certificadora apontou que há 800 produtores cadastrados no Sisbov, desde novembro de 2005.

Há pecuaristas de toda a Região Sul do Estado, a exemplo de Rondonópolis, Pedra Preta, Guiratinga e Itiquira. Silva revelou que há, ainda, produtores rurais de Cuiabá e Campo Grande (MS). O gerente acredita que a demora na efetivação do sistema pode comprometer o processo que envolve a credibilidade da nova normativa. “O Governo está sendo um pouco irresponsável”, opinou.

O diretor do Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade do Mapa, Paulo Nogueira, não eximiu a responsabilidade do Ministério na demora de regularização do sistema. Segundo ele, existem dificuldades técnicas, uma vez que as definições sobre as funções de cada formulário já foram estipuladas.

Nogueira explica que a demora deve-se a mudança de equipe de técnicos de informática já que o trabalho é terceirizado. “Mas não tem nenhum problema sério”, disse. O diretor afirmou que o sistema foi testado junto aos computadores do Mapa, mas quando foi disponibilizado junto às certificadoras, o servidor apresentou uma deficiência, fruto dos erros apontados pelos responsáveis pelas certificadoras.

“Nós entendemos que as certificadoras estão ansiosas e precisam do sistema para operar”, afirmou. O diretor acredita que até a próxima semana o sistema estará regularizado e as certificadoras poderão registrar os animais do rebanho de bovinos e bubalinos do Estado.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink