Fazendas com maior número de bovinos estão nos Estados de pecuária de corte

Agronegócio

Fazendas com maior número de bovinos estão nos Estados de pecuária de corte

Minas Gerais é o Estado que mais possui propriedades com bovinos. São cerca de 350 mil fazendas, 13% do total do Brasil
Por:
482 acessos

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os 170 milhões de bovinos existentes no País estão distribuídos em 2,65 milhões de estabelecimentos.

A média de 64 animais por propriedade parece baixa, mas é preciso levar também em consideração a pecuária leiteira, atividade que geralmente abriga um menor número de animais por propriedade por exigir maior investimento.

Minas Gerais é o Estado que mais possui propriedades com bovinos. São cerca de 350 mil fazendas (13% do total do Brasil). Em seguida vem o Rio Grande do Sul, com 328 mil propriedades (12,4% das fazendas do Brasil). Estes são justamente os maiores produtores de leite do Brasil, com 27,8% e 11,3% de representatividade da produção nacional, respectivamente. A atividade leiteira é caracterizada por um rebanho menor do que a pecuária de corte, pois exige maiores investimentos. Nestes dois Estados, o número médio de animais por propriedade é de 60 (em Minas Gerais) e 34 no Rio Grande do Sul.

Em Estados fortes em pecuária de corte, o número de fazendas é bem menor, mas o tamanho do rebanho é maior por propriedade. Mato Grosso do Sul libera o ranking do maior número de animais por propriedade, em torno de 380, seguido por Mato Grosso, 242 animais, Pará e Goiás (com 155 animais por fazenda). Enquanto o rebanho bovino do Mato Grosso do Sul é 17,4 milhões de cabeças, distribuídas em 46 mil propriedades, Minas Gerais tem 21 milhões de cabeças em 350 mil propriedades (quase 8 vezes mais fazendas que no Mato Grosso do Sul).

A concentração da pecuária (maiores fazendas) pode indicar maior especialização e maior ganho em escala, pois existe uma tendência de que, com os preços das commodities em queda, esse processo de concentração cada vez mais aumente. No entanto, a disseminação da atividade pode distribuir melhor a renda no campo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink