Ferrugem asiática incide menos em fevereiro
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,684 (0,11%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (2,18%)

Imagem: Marcel Oliveira

SANIDADE

Ferrugem asiática incide menos em fevereiro

Estudo foi publicado por jornal científico do Canadá
Por: -Eliza Maliszewski
472 acessos

Um estudo inédito mostrou que há diminuição significativa do uso de fungicidas em plantios de soja no mês de fevereiro. Isso se deve a menos incidência da ferrugem asiática quando comparada com plantios de dezembro. A pesquisa demonstra o benefício fitossanitário, ambiental e econômico e foi conduzido em uma parceria entre Fundação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Rio Verde (MT) e pelo Instituto Agris de Passo Fundo (RS). 

Devido a sua importância e pioneirismo a pesquisa denominada “Análise Comparativa de Severidade de Ferrugem-asiática em Soja Semeada em Dezembro e Fevereiro em Mato Grosso, Safra 2018/2019” foi publicada pelo Centro Canadense de Pesquisa e Educação, no Jornal de Agricultura e Ciência.

Aprosoja questiona calendário

No Mato Grosso o plantio de soja só pode ser feito até 31 de dezembro. A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) diz que a medida é uma entrave para a produção de sementes para uso dos próprios produtores. “Os produtores que antes cultivavam sua semente para uso próprio no final de janeiro ou em fevereiro antecipassem esse cultivo para dezembro, período mais úmido e com mais incidência de ferrugem-asiática”, aponta.

A entidade ainda aponta que nesse período houve aumento do o uso de fungicidas químicos, em torno de 50% a mais. Ainda defende os resultados do estudo que aponta fevereiro como o melhor mês para fazer semente. “Nesse período há menos incidência de ferrugem e a soja pode ser colhida em um período com menos umidade, o que também possibilita uma melhor qualidade da semente”.

A sugestão da Aprosoja é que ao implantar a Calendarização do Plantio da Soja em Mato Grosso deveriam ter sido observados critérios como: pesquisa científica prévia, ouvir os produtores e após a implantação do calendário observar ano a ano a eficácia. “A calendarização vale desde 2015 e nenhum dos três requisitos foram cumprido”, diz.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink