Frimesa triplica a sua produção de queijos

Agronegócio

Frimesa triplica a sua produção de queijos

A Frimesa, de Medianeira, no oeste do Paraná, está reforçando sua aposta na industrialização
Por:
10 acessos

A Frimesa, de Medianeira, no oeste do Paraná, está reforçando sua aposta na industrialização. A central, que reúne cinco cooperativas e tem atuação na área de leite e suínos, inaugura hoje, com investimentos de R$ 23 milhões, a ampliação do seu complexo de laticínios de Marechal Cândido Rondon, também no oeste. O projeto vai lhe permitir triplicar a produção de queijos e entrar nos mercados de leite condensado e sucos. "A idéia é melhorar a remuneração do produtor e ocupar espaço no mercado com produtos de maior valor agregado", diz Elias Zydek, diretor executivo.

A nova fábrica tem capacidade para produzir 1,2 mil toneladas de leite condensado e de 550 toneladas de sucos, creme de leite e bebidas achocolatadas por mês. Essas duas últimas linhas já eram produzidas pela fábrica de Curitiba e envasadas pela indústria de alimentos Nutrimental. "Agora transferimos esses dois produtos para a nova fábrica e assumimos toda a operação", afirma Zydek.

A produção de sucos e achocolatados será vendida em embalagens longa vida de 200 ml, voltada principalmente para o público infanto-juvenil. A Frimesa vai apresentar ao mercado um portfólio de cinco sabores de sucos: uva, pêssego, manga, morango e acerola e morango, laranja e banana. "No caso dos sucos, primeiro vamos trabalhar o universo infantil e na seqüência investiremos nas embalagens de 1 litro", diz.

Do total investido, 40% foram financiados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Os recursos foram usados ainda para elevar a produção de queijos da marca de 300 toneladas para 1mil toneladas por mês e na construção de um armazém, com capacidade para 6 mil toneladas.

A Frimesa também pretende lançar uma linha de sobremesas e de molhos prontos, que serão produzidos na nova fábrica a partir do próximo ano. Hoje, todo o leite recebido pela central resulta em 197,6 mil toneladas de produtos por ano. Só o leite longa vida e o pasteurizado respondem por 74%.

"Queremos ampliar o processamento e alcançar o recebimento de 1 milhão de litros por dia até o final de 2006", diz Zydek. A Frimesa processa hoje 800 mil litros por dia entregues por 7 mil produtores. A central é considerada hoje a maior empresa de laticínios do Paraná e a sexta do Brasil. A cooperativa superou em volume a Batavo, de Carambeí (PR), ao adquirir uma unidade de laticínios em Santa Catarina. A fábrica, localizada em Aurora, no Alto Vale do Itajaí, está recebendo R$ 500 mil para elevar de 100 mil para 200 mil litros ao dia a capacidade de recebimento de leite na região.

A área de leite representa hoje 56% do faturamento da cooperativa, que fechou o ano passado com receita de R$ 470 milhões, 15,4% mais do que em 2003. A meta da empresa, de acordo com Zydek, é chegar a R$ 1 bilhão em faturamento até 2009. "Até lá vamos exportar 30% da produção", diz ele.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink